Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2020

Assista nossa Transmissão ao vivo

Audiência

.

.

Fale conosco, estamos on-line!

.


PLAYER / PROGRAMAS E VÍDEOS CLIPS - DESTAQUES

.

Tradutor

.

Pesquise aqui seus interesses.

.

Ligue ao vivo em nossa rádio e fale conosco.

Reprises

Siga nossa rádio.

Curta nossa Página no Facebook.

O QUE FAZER COM A RAIVA QUE SINTO DO RACISMO E A MISOGINIA DE TODOS OS DIAS NO MEU AMBIENTE DE TRABALHO

O QUE FAZER COM A RAIVA QUE SINTO DO RACISMO E A MISOGINIA DE TODOS OS  DIAS NO MEU AMBIENTE DE TRABALHO    Por:  Jacqueline Costa Fonte: Arquivo Pessoal   “Preto sujo!” Ou simplesmente: “Olhe, um preto! ”Cheguei ao mundo pretendendo descobrir um sentido nas coisas, minha alma cheia do desejo de estar na origem do mundo, e eis que me descubro objeto em meio a outros objetos. Enclausurado nesta objetividade esmagadora, implorei ao outro. Seu olhar libertador, percorrendo meu corpo subitamente livre de asperezas, me devolveu uma leveza que eu pensava perdida e, extraindo-me do mundo, me entregou ao mundo. Mas, no novo mundo, logo me choquei com a outra vertente, e o outro, através de gestos, atitudes, olhares, fixou-me como se fixa uma solução com um estabilizador. Fiquei furioso, exigi explicações... Não adiantou nada. Explodi. Aqui estão os farelos reunidos por um outro eu. (FRANTZ FANON, 2008, p. 103).   Tenho percebido cada vez mais que ter nascido mulher, preta e do interi

Quem é Victor Coimbra?

À espera Na quente noite estrelada/ Um sorriso me enaltecia./ Era a minha alma inebriada/ Pela condição que se fazia./ Cada ponto que brilhava.../ Ali se mostrava meu guia./ E tremendo eu suspirava/ Pelo frescor que fazia./ E a madrugada cintilava/ A pintura que o céu fazia./ E junto a ela, eu estava./ Esperando o raiar do novo dia.

Tesouro Selic fecha setembro negativo. Onde pôr a reserva de emergência?

Tesouro Selic fecha setembro negativo. Onde pôr a reserva de emergência? Fonte da imagem: pinterest O mês de setembro terminou deixando os investidores do Tesouro Direto com as mãos na cabeça.  O Tesouro Selic, aplicação de renda fixa recomendada como ótima opção para compor a reserva de  emergência fechou o mês em queda, 0,46% no título com vencimento em 2025, fato que não ocorria há 18 anos. Apesar do número negativo não há motivo para pânico. Esse movimento ocorre porque os títulos sofrem  marcação a mercado, ou seja, o preço do ativo sofre atualização periódica. Em meio a preocupação do mercado financeiro com a capacidade do Tesouro Nacional de girar a dívida pública, além da confusão no governo Bolsonaro em torno da forma de financiamento do Renda Cidadã, que substituirá e ampliará o Bolsa família e a incerteza quanto o Governo acabar estourando o teto de gastos. Isso fez com que o risco desses títulos se elevasse, assim o governo precisou oferecer mais juros para atrair os invest

Precisão

Precisão Na imprecisão do tempo/ Me vi sentido ao relento./ E por mil e um momentos/ Um redemoinho se fez lamento./ Na imperfeição do mundo/ Me percebi descabido e mudo.../ Preso num tempo oriundo./ Acabei num tempo absurdo./ Na contemplação da prata brilhante/ Me descobri um ser impreciso./ Encantado pelo tem po errante/ Redescobri meu tempo em sorriso.

Insistência

Insistência Incessantemente, a dor dilacerava.../ O que o peito, insistia em remoer./ Inevitavelmente, ela apenas implorava.../ A lembrança, que teimava em reaparecer. / Insistentemente, eu a suportava.../ Diante de um lindo entardecer. / Infinitamente, ao olhar o céu, eu suspirava./ Ao me lembrar de você.

Diário,1992.

              Diário, 1992 . Por : Juliana Jardel Foto: Arquivo Pessoal   Ontem encontrei meu diário do ano de 1992, foi um presente que recebi da minha tia Lina (já retornou para a massa de origem) fiquei emocionada com o que estava escrito no mesmo. Eu tinha apenas 15 anos. Morava na avenida um, Nova Vila. Goiânia-Goiás. Minha mãe Vanilda, trabalhava dia e noite para que eu e meus irmãos pudéssemos estudarmos,  alimentarmos bem e ter uma “beca” da hora. Em suas primeiras páginas eu descrevo a minha satisfação em conhecer jovens legais e cheios de sonhos como eu. Em especial falo de um amigo em que eu confiava em dividir as mazelas e os sonhos. No decorrer do texto ofereço a Canção da América do cantor Milton Nascimento. “Amigo é coisa pra se guardar Debaixo de sete chaves Dentro do coração Assim falava a canção que na América ouvi”…   Hoje me permiti ouvir tal canção pensando o quanto sou especial pra mim. Eu hoje acordei Snoop Dogg. Realmente eu não vejo mal algum se sent

Criança às avessas

Criança às avessas Há quem não esqueça/Desta data tão festiva./ E pra quem não a conheça/ A imagem ainda está viva./ Tem gente que a cultiva/ E carrega nos trejeitos./ Outros... Com ela, ainda viva/ Sem olhar seus defeitos./ Cada um com sua criança/ Não importa a condição./ Pra alguns, só a lembrança/ Na batida do coração./ Pra outros somente basta.../ Conviver com a emoção./ E assim o mal afasta/ Com o doce mel da ilusão./ Muita criança não cresceu.../ Apenas trocou de altura./ E ela apenas amadureceu/ E não deixou de lado a doçura.

Nanhé Wodzodzó (O Barro Cura) – Sabedoria das Marias Kariri

Nanhé Wodzodzó (O Barro Cura) – Sabedoria das Marias Kariri Por:   Lidiane Kariri Alves   Fonte: Arquivo  Pessoal Sou membra do Coletivo de Mulheres Indígenas e Quilombolas, esse coletivo é formado por mulheres de vários estados do Brasil, porém a maioria são estudantes da Universidade Federal de Goiás. Estamos a mais de um mês realizando propostas a partir da nossa cultura saberes que curam, e quero compartilhar com vocês o Nanhé ( barro) vamos lá?.  Ah, sigam o nosso instragram @mulheresindigenasequilombolas lá tem outras propostas de cura. O que essa proposta tem a ver com a minha ancestralidade? As comunidades indígenas que vivem dos rios e das florestas conhecem as propriedades curativas de Radá ( Terra) e do Nanhé(barro) e os usam constantemente para a cura e a promoção da saúde do corpo. Para nós, Kariri ribeirinhos, o Nanhè é um elemento vivo importantíssimo para o nosso modo de ser indígena Kariri ribeirinhos. Usamos o Nanhè para fazer as nossas casas, panelas, pote, f

Compartilhe nossos artigos e matérias em suas redes sociais.