m Rádio Boa Música FM / Blog de Notícias e Streaming de áudio e vídeos: Novembro 2020

Siga nossa rádio.

Slide

Sharethis

câmera estúdio

câmera estúdio

Player Tv Streaming

Visitantes:

Seja bem vindo! Chame-nos no chat.

Fale conosco, estamos on-line!

Compartilhe nosso blog e programas ao vivo para seus amigos e familiares clicando abaixo nos botões

Compartilhe nosso blog e programas ao vivo para seus amigos e familiares clicando abaixo nos botões

Compartilha para diversas Redes Sociais

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

Galeria do Instagram

Minhas Redes Socais

Visitas

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Confira a lista de artistas do cast da Universal Music indicados ao Grammy® 2021!

Foto: Divulgação



    Taylor Swift lidera as indicações, concorrendo em cinco categorias.

    No dia 24 de novembro, a Recording Academy anunciou os indicados à 63ª edição do GRAMMY® Awards. A cerimônia acontecerá no dia 31 de janeiro de 2021 e será apresentada ao vivo por Trevor Noah, direto do Staples Center, em Los Angeles (EUA), com um número limitado de convidados.

    Entre os indicados, uma curiosidade que chama a atenção é que apenas mulheres concorrem na categoria de “Melhor Performance de Rock”. As irmãs HAIM concorrem com a faixa “The Steps” (https://umusicbrazil.lnk.to/TheStepsPR), e como “Álbum do Ano” com “Women in Music Pt. III” (https://umusicbrazil.lnk.to/WomeninMusicPtIII).

    Taylor Swift foi indicada para “Álbum do Ano” e “Melhor Álbum Pop”, com “folklore” (https://umusicbrazil.lnk.to/FolklorePR); “Melhor Performance Pop Solo”, com a música “Cardigan” (https://umusicbrazil.lnk.to/CardiganPR). “Melhor Performance Pop em Duo / Grupo”, por sua colaboração com Bon Iver em “Exile” (https://umusicbrazil.lnk.to/ExilePR); e “Melhor Canção Composta para Mídia Visual” por “Beautiful Ghost”, trilha do filme “Cats”.

    Também indicado em quatro categorias, Justin Bieber concorre a “Melhor Álbum Pop”, com “Changes” (https://umusicbrazil.lnk.to/ChangesPR), além de “Melhor Performance Pop Solo”, “Melhor Performance Pop em Duo / Grupo” e “Melhor Performance Duo / Grupo Country”.

    Billie Eilish concorre em quatro categorias: “Gravação do Ano”, “Música do Ano” e “Melhor Performance Pop Solo”, com o single “Everything I Wanted” (https://umusicbrazil.lnk.to/EverythingIWantedPR). Já com a faixa “No Time to Die” (https://umusicbrazil.lnk.to/NoTimeToDiePR), música-tema do novo filme da franquia 007, de Billie Eilish e seu irmão, FINNEAS, estão na disputa pelo prêmio de “Melhor Música Para Mídia Visual”.

    O rapper DaBaby está concorrendo em quatro categorias: “Melhor Performance de Rap”, com a música “Bop” (https://umusicbrazil.lnk.to/BOPPR). Já com a faixa “Rockstar” (https://umusicbrazil.lnk.to/DBRockstarPR), o artista disputa nas categorias “Gravação do Ano”, “Melhor Performance de Rap Melódico” e “Melhor Música de Rap”.

    Jacob Collier está entre os indicados a “Álbum do Ano” com “Djesse Vol.3” (https://umusicbrazil.lnk.to/DjesseVol3), e em “Melhor Performance R&B” pelo single “All I Need” (https://umusicbrazil.lnk.to/AllINeedPR).

    Post Malone concorre na categoria “Álbum do Ano”, com “Hollywood’s Bleeding” (https://umusicbrazil.lnk.to/HollywoodsBleedingPR), além de “Música do Ano” e “Gravação do Ano”, com a aclamada “Circles” (https://umusicbrazil.lnk.to/CirclesPR).

    Na categoria “Melhor Performance Pop em Duo / Grupo”, quatro dos cinco indicados fazem parte do cast da Universal Music. J Balvin concorre pela música “Un Dia (One Day)” (https://umusicbrazil.lnk.to/UnDiaOneDayPR), sua colaboração com Dua Lipa, Bad Bunny e Tainy. Justin Bieber e Quavo disputam com a faixa “Intentions” (https://umusicbrazil.lnk.to/IntentionsPR), enquanto Lady Gaga e Ariana Grande concorrem com o single “Rain On Me” (ht tps://umusicbrazil.lnk.to/RainOnMePR).

    Tame Impala disputa nas categorias “Melhor Álbum de Música Alternativa”, por “The Slow Rush” (https://umusicbrazil.lnk.to/TheSlowRushPR), e  “Melhor Música de Rock”, pelo single “Lost in Yesterday” (https://umusicbrazil.lnk.to/LostinYesterdayPR). Woodkid concorre na categoria “Melhor Videoclipe” com o single “Goliath” (https://umusicbrazil.lnk.to/goliathPR). Beck foi indicado na categoria “Melhor Álbum de Música Alternativa”, com o álbum “Hyperspace” (https://umusicbrazil.lnk.to/HyperspacePR).

    O aclamado álbum “Chromatica” (https://umusicbrazil.lnk.to/ChromaticaPR), de Lady Gaga, foi indicada na categoria “Melhor Álbum Pop”. Gregory Porter foi indicado a “Melhor Álbum de R&B” pelo disco “All Rise” (https://umusicbrazil.lnk.to/AllRisePR). E Michael Kiwanuka disputa na categoria de “Melhor Álbum de Rock” com o disco “Kiwanuka” (https://umusicbrazil.lnk.to/Kiwanuka). A banda Grace Potter concorre em duas categorias, “Melhor Álbum de Rock” e “Melhor Performance de Rock”.

    A trilha sonora de “Frozen 2” concorre como “Melhor Trilha Sonora de Mídia Visual” e a música-tema do filme, “Into the Unknown” (https://umusicbrazil.lnk.to/IntotheUnknownPR), como “Melhor Música Para Mídia Visual”. Na categoria “Melhor Filme de Música”, a icônica banda Beastie Boys está indicada pelo documentário “Beastie Boys Story”, que foi lançado, juntamente, com um disco com seus maiores sucessos, “Beastie Boys Music” (https://umusicbrazil.lnk.to/BeastieBoysMusicPR). James Taylor foi indicado na categoria “Melhor Álbum Pop Vocal Tradicional” pelo disco “American Standard” (https://umusicbrazil.lnk.to/AmericanStandardPR).

    Na categoria “Melhor Álbum Latino de Rock ou Alternativo”, a cantora Cami está concorrendo com o álbum “Monstruo” (https://umusicbrazil.lnk.to/MonstruoPR). Em “Melhor Álbum de Música Regional Mexicana”, foram indicados Christian Nodal, por “AYAYAY”, e Alejandro Fernandez, com o álbum “Hecho en Mexico” (https://umusicbrazil.lnk.to/HechoenMexicoPR).

    Na categoria “Melhor Música de Rap”, Drake concorre com a faixa “Laugh now, Cry Later” (https://umusicbrazil.lnk.to/LaughNowCryLaterPR). Pop Smoke foi indicado na categoria “Melhor Performance de Rap”, com o single “Dior” (https://umusicbrazil.lnk.to/PSDiorPR). O rapper Lil Baby recebeu duas indicações nas categorias “Melhor Música de Rap” e “Melhor Performance de Rap”, por “The Bigger Picture”. O rapper Nas concorre na categoria “Melhor Álbum de Rap”, por “Kings Disease” (https://umusicbrazil.lnk.to/KingsDiseasePR). Big Sean foi indicado na categoria “Melhor Performance de Rap” por “Deep Reverence”, sua colabora& ccedil;ão com Nipsey Hussle.

    O duo Disclosure concorre a “Melhor Gravação de Dance”, com a faixa “MY HIGH” (https://umusicbrazil.lnk.to/MyHighPR), e “Melhor Álbum de Dance”, pelo álbum “ENERGY” (https://umusicbrazil.lnk.to/EnergyPR). A cantora Tiana Major9 disputa na categoria “Melhor Música de R&B”, por seu single “Collide” (https://umusicbrazil.lnk.to/CollidePR). Julia Michaels concorre na categoria “Música do Ano”, por sua colaboração com JP Saxe em “If the World Was Ending”.

    Na categoria “Melhor Álbum de New Age”, concorre “Songs From the Bardo”, de Laurie Anderson, Tenzin Choegyal & Jesse Paris Smith. Em “Melhor Álbum Contemporâneo de Música Cristã” está indicado “Jesus Is King” (https://umusicbrazil.lnk.to/JESUSISKINGPR), de Kanye West. Em “Melhor Performance Norte-Americana” concorrem Norah Jones e Mavis Staples com a música “I’ll Be Gone” (https://umusicbrazil.lnk.to/IllBeGonePR). Na categoria “Melhor Álbum de Reggae” concorrem “Upside Down 2020” (https://umusicbrazil.lnk.to/UpsideDownPR), de Buju Banton.

    Skip Marley concorre em duas categorias “Melhor Álbum de Reggae” com “Higher Place” (https://umusicbrazil.lnk.to/HigherPlacePR), e “Melhor Música de R&B” com “Slow Down” (https://umusicbrazil.lnk.to/SlowDownPR). Lady A foi indicado na categoria “Melhor Performance Country de Duo / Grupo”, por “Ocean” (https://umusicbrazil.lnk.to/LAOceanPR).

    Confira todos os indicados em:





Texto: Luciana Bastos.




Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

Em parceria com a Universal Music!

Foto: Divulgação.




    Mahmundi apresenta “Sorriso Rei”, projeto que celebra a vida e a arte de pessoas pretas.

    Explorando novas vertentes de seu trabalho, a cantora, produtora e agora diretora criativa Mahmundi, em parceria com a Universal Music, apresenta o projeto “Sorriso Rei”, em celebração ao mês da Consciência Negra. O projeto, feito em sua maioria por pessoas pretas, pretende homenagear e revisitar grandes artistas pretos da música.

    Os dois primeiros homenageados são Gilberto Gil, que terá seu clássico “Tempo Rei” revisitado por Xande de Pilares, Léo Santana e Priscila Tossan, e Jovelina Pérola Negra, que será homenageada por Mumuzinho, Malía, Mc Zaac e Ruby com a releitura de “Sorriso Aberto”, canção que ganhou o mundo na voz da icônica intérprete.

    Sobre a escolha das músicas, Mahmundi conta: “’Sorriso Aberto’ e ‘Tempo Rei’ são duas músicas clássicas, de pessoas pretas e de vertentes muito diferentes. Gilberto Gil, que tem uma profundidade, uma intelectualidade e uma sensibilidade com o mundo, faz com que as canções dele tenham esse apreço popular, apesar de estar ali, nessa crista da MPB. Escolhi também canção ‘Sorriso Aberto’, que é uma música interpretada pela Jovelina Pérola Negra e composta pelo Guará Sant’anna. Eu quis trazer dois universos completamente diferentes, do samba, da música do Gil, que é uma música que a gente quase não en tende qu al é o estilo dela, é a música do Gilberto Gil, então, essas duas pessoas que marcaram essa época, que trouxeram essas novidades para a comunidade dos artistas populares pretos, de histórias completamente diferentes”, explica a artista, que contou neste processo com a ajuda de amigos, como o baterista Theo Zagrae.

    As duas novas canções foram lançadas nas plataformas digitais no dia 20 de novembro, data em que se celebra o Dia da Consciência Negra. Mahmundi, que assina a direção criativa e produção musical do projeto, pretende estender essas homenagens para os próximos meses. Além dos dois singles, serão ainda divulgados dois clipes e um documentário, dirigido por Yasmin Thayná, cineasta carioca que recebeu o prêmio de “Melhor Curta-metragem” da Diáspora Africana da Academia Africana de Cinema (AMAA Awards 2017).

    Para a artista, esses lançamentos são apenas o início de um projeto maior. “O plano é que ‘Sorriso Rei’ seja o pontapé inicial para vários projetos que a gente pretende fazer junto da Universal Music, porque eu AMO fazer isso, eu amo música. E é maravilhoso estar perto de uma nascente de música. Eu quero muito explorar isso, ter mais artistas, aprender nesses processos e produzir as minhas músicas. Eu acho que ‘Sorriso Rei’ tem muita coisa ainda para ser explorada e dita, para além do dia 20 de novembro, que eu até já esqueci completamente, porque a minha vida já é todo dia uma vida de consciência negra. Amanheci esses dias com a not&ia cute;cia de que Cadu Barcellos, um jovem de 34 anos, foi esfaqueado voltando de um evento na Lapa. Isso deixa a gente muito triste, porque Cadu era um cineasta, era um parceiro, pra mim, essa coisa da consciência negra é todos os dias, quando a gente perde um dos nossos amigos, quando a gente perde mais uma pessoa vítima de suicídio, vítima de problemas, desemprego, problemas de saúde mental, o próprio racismo. Então, para mim, o plano com ‘Sorriso Rei’ é mostrar para a molecada que tem muita coisa acontecendo, muita coisa para se orgulhar e para celebrar. Nem vou ficar me apegando ao 20 de novembro, que acho que é uma data importante, em que a gente afirma isso para o Brasil, para o mundo, mas todo dia para mim é dia 20 de novembro. Então, eu quero que ‘Sorriso Rei’ tenha uma vida longuíssima. E tenho certeza de que vai dar certo”, finaliza Mahmundi.



Texto: Luana Ribeiro.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

Consciência Negra!

Fonte: Divulgação, Rádio Boa Musica FM

    

    Esse foi o tema do último Programa Abrindo a Boca deste mês de Novembro, na Rádio Boa Musica FM.


   E abordar esse tema justifica toda fala em prol de igualdade, justiça e oportunidade, assuntos tão falados e que por senso comum, chegamos à conclusão que devem ser, sim ditos, à exaustão em todos os meios possíveis até que se tornem verdades absolutas.


    Deixo aqui meu Muito Obrigado a todos os participantes Convidados do programa deste mês pretos e pretas que tanto me representam em suas respectivas esferas de atuação, deixando claro que “aquela” frase aplicada tantas vezes de forma tão infeliz...”é coisa de preto”...se faz verdade na nossa imensurável capacidade intelectual.


    Agradeço também a todos os ouvintes, negros e de todas as etnias que são conscientes e igualitários no valor do outro, e àqueles que ainda não atingiram sua total humanidade e consciência deixo minha resistência e o comprometimento constante com informações de qualidade e representatividade.


    Finalizo com a frase de Eli Odara Theodoro...


    "Se o que me impede de avançar é o muro do racismo, o derrubo com minha Consciência Negra."



Por: Dra Elisabeth Lisboa do Nascimento

Cirurgiã Dentista, Idealizadora da Clínica Odonto Íntegra

Locutora do Programa Abrindo a Boca na Rádio Boa Musica FM




Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Com dez troféus entregues a artistas do cast Universal Music, a Academia Latina de Gravação premiou os destaques do ano!


Fotos: Divulgação.
    

    Somando à temporada de eventos virtuais imposta pela pandemia, a Academia Latina da Gravação entregou na noite do dia 19 de novembro, os prêmios da 21ª edição do Latin GRAMMY®️. Com dez troféus entregues a artistas do cast da Universal Music, um dos mais consagrados prêmios da música latina, foi transmitido diretamente de Miami (EUA). O espetáculo, que teve como tema “A Música nos Humaniza”, contou com exclusivas performances inspiradoras, que foram transmitidas de diversas cidades do mundo.

Fotos: Divulgação.


    A edição de 2020, do Latin Grammy contou, pela primeira vez na história, com uma festa exclusiva para os brasileiros. Apresentada em português pela modelo piauiense Laís Ribeiro, a cerimônia contou com a ilustre performance dos irmãos Melim, e entregou a Paula Fernandes o troféu de “Melhor Álbum de Música Sertaneja”, pelo projeto “Origens (Ao Vivo Em Sete Lagoas)”. “(...) Esse segundo Grammy vem para celebrar e confirmar meu compromisso com a minha essência, com a minha música. Ele coroa um trabalho feito com amor e muita gente incrível envolvida. E me faz pensar em toda a caminhada até aqui, nos momentos de incerteza, nos desafios que enfrentei sendo uma das poucas mulheres no sertanejo, quando esse era um ambiente tão dominado por homens, nos ‘nãos’ que precisei ouvir, nas parcerias que encontrei pela vida... A tudo isso eu sou muito, mas muito, grata! (...)”, disse Paula Fernandes em suas redes sociais.

    A lista de performers, da noite, incluiu nomes como Alejandro Fernández, Christian Nodal, Guaynaa, Karol G, Los Tigres del Norte, o artista mais indicado da festa, J Balvin, e a apresentação mais aguardada da noite pelos fãs, de Sebastián Yatra. Os irmãos brasileiros do Melim também apareceram em uma inspiradora apresentação do hit “Eu Feat Você”.

Fotos: Divulgação.


    Concorrendo em 13 categorias, J Balvin foi o artista mais indicado desta edição do prêmio. O colombiano recebeu o título de “Melhor Álbum”, por “Colores” (https://umusicbrazil.lnk.to/ColoresPR), categoria na qual  também disputou seu projeto “Oasis” (https://umusicbrazil.lnk.to/OasisPR), ao lado de Bad Bunny.

    Já o espanhol Alejandro Sanz foi indicado em três categorias e ganhou o troféu de “Gravação do Ano”, pelo single “Contigo”. A chilena Mon Laferte recebeu o terceiro Grammy de sua carreira, se tornando a artista mais premiada pela academia, na história do Chile. Por “Biutiful”, ela recebeu o título de “Melhor Canção de Rock”.

    A lista de premiados incluiu ainda Chiquis, que levou o troféu de “Melhor Álbum de Música Banda”, por “Playlist”; La Mafia, por “Live in Mexico”, que recebeu o título de “Melhor Álbum de Música Texana”; a banda Los Tigres Del Norte, que ganhou na categoria “Melhor Álbum de Música Nortenha” pelo disco “Los Tigres Del Norte At Folsom Prison”; o grupo Molotov, que recebeu o prêmio de “Melhor Álbum de Rock” pelo projeto “¿Dónde Jugarán Lxs Niñxs? (Desde El Palacio De Los Deportes)”; e Alejandro Fernandéz, que arrebatou o prêmio de “Melhor Álbum de Música Ranchera / Mariachi”, pelo disco “Hecho en Mexico”. O prêmio de “Produtor do Ano” foi entregue a dupla Andrés Torres e Mauricio Rengifo.

    Confira a lista completa dos ganhadores: https://www.latingrammy.com/pt/nominees?genre=45 .



Texto: Luciana Bastos.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

TikTok terá live de Emicida na próxima 6ª feira, 27!

Foto: Wendy Andrade.


    Finalizando as jam sessions da campanha #MinhaVozImporta, em celebração ao mês da Consciência Negra, o TikTok confirmou o rapper, cantor e compositor brasileiro, Emicida, convidando Thiago Jamelão! O TikTok tem entre seus principais valores ser uma referência em autenticidade e inclusão, o que tem feito com que milhões de pessoas, mundo afora, rendam-se à produção de vídeos criativos, divertidos e autênticos no App.

    Durante o mês de novembro, o TikTok celebrou a diversidade e deu a novos artistas negros da cena musical brasileira, espaço para apresentarem seus trabalhos em parceria com artistas já conhecidos e queridos pelo grande público. A iniciativa buscou fortalecer a representatividade de criadores de conteúdo negros, dentro da plataforma.

    A programação musical contou com Olodum, Drik Barbosa, Rennan da Penha, Marvvila, Edi Rock, Morenna e Péricles, entre outros.

    27 de novembro, às 19h – Emicida convida Thiago Jamelão.



Texto: Camila Xavier.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

Branka lança música e clipe falando de empoderamento feminino!

Fotos: Ingo Rosler.


    A libertação de um relacionamento abusivo é o ponto de partida do novo trabalho da cantora e compositora.

Fotos: Ingo Rosler.


    Nestes tempos de pandemia, a violência doméstica contra a mulher tornou-se um perigo ainda maior, culminando com o aumento do número de casos de feminicídio. Mas há as “violências invisíveis”, como a psicológica, a moral, a sexual e a patrimonial. Atenta a essas questões, a cantora e compositora Branka lança o clipe de seu novo single autoral – música e letra dela – mostrando que, antes de artista, é mulher... e mulher engajada nas questões femininas. O lançamento foi no emblemático Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres: 25 de novembro.

    Em seu novo trabalho, “Palavras sinceras”, disponível nas plataformas digitais, Branka fala de relacionamento abusivo, sobretudo na decisão de dar um basta a esse tipo de situação. Até porque, quase sempre, a violência começa com abusos nas relações.

    Os versos de Branka escancaram o poder de decisão da mulher; a única pessoa que pode, realmente, mudar o rumo da própria vida: “Mais mentiras não vão machucar o meu peito / Essa dor eu vou tirar, curar do meu jeito / Teu veneno não vai mais entrar, nem confundir/ ... / Me desculpe, mas eu vou cuidar de mim”.

Fotos: Ingo Rosler.


    Apesar de não estar vivendo nada parecido, o verso “eu vou cuidar de mim” tem muito a ver com a fase que Branka vem vivendo. Em quarentena, ela está mesmo muito mais voltada pra si mesma. “Estou num momento de grande autoconhecimento e maturidade. Uma fase em que, dia após dia, sinto a delicada sensação de que minha inspiração pra compor está mais aflorada", revela Branka.

    Realmente, vem sendo uma fase bem produtiva para Branka, que gravou o clipe de “Palavras sinceras” no final de setembro, mostrando mulheres em processo de empoderamento, que vão se libertando do sofrimento de relacionamentos abusivos, descobrindo que podem decidir a própria vida. O clipe tem força, mas também delicadeza. Assim como as mulheres.

    Com direção, roteiro e fotografia de Marcio Freitas, o videoclipe da canção teve participação de várias mulheres, de diferentes gerações, inclusive da filha de Branka – Ana Júlia, de 21 anos. A gravação foi no Studio Ingo Rosler, em Santa Teresa, e contou com três músicos convidados: Carlinhos 7 Cordas, Dirceu Leite e Hudson dos Santos.

    Antes deste novo trabalho, Branka já estava a todo vapor: fez live em homenagem a Clara Nunes, revisitando o repertório da artista nascida em 12 de agosto de 1942; lançou singles de sucessos da cantora, como “Menino Deus” (Mauro Duarte / Paulo César Pinheiro) e “Feira de Mangaio” (Sivuca / Glória Gadelha); e vem dando continuidade à sua obra, gravando músicas próprias. "No momento, estou produzindo muitas composições no estúdio; colocando ideias que não tinha tempo de realizar e que agora, com a pandemia, estou colocando em dia. E fazendo lives pra matar a saudade dos palcos e do público”, explica a cantora, dona de seu destino.

    Branka começou na carreira como Karyme Hass, e, quando foi de Curitiba, sua cidade natal, para o Rio de Janeiro, caiu nas rodas de samba, onde era chamada de “branquinha”. Foi assim que virou Branka, essa artista que agora vem com um som mais romântico, mas sem perder a força jamais.



Texto: Sheila Gomes.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Fatos


Fatos


O presente se fez luto/ Pelas mortes anunciadas. / No instante arguto/ Vidas são ceifadas./ Os corpos abatidos.../ São almas que se revelam./ Com seus direitos contidos/ Suas vidas não cancelam. / Pessoas caçam pessoas.../ Achando ter suas razões./ E as benditas almas boas/ Se mostram nas imperfeições.


Você possui uma alma ou você é uma alma? Saiba de uma vez por todas

terça-feira, 24 de novembro de 2020

Mercado financeiro eleva estimativa de inflação e prevê taxa de juros maiores em 2021!

 

Fonte: Pinterest

    

     Em meio a novo aumento na estimativa de inflação, o mercado financeiro elevou a perspectiva para a taxa de juros em 2021.


       O Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (23/11), nos traz uma elevação da Taxa Selic de 2,75% para 3,0% em 2021. Para este ano mantem-se a previsão de manutenção no atual patamar de 2,0%.


        Pela 15ª semana consecutiva houve aumento no IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo), saindo de 3,25% na semana anterior para 3,45%. Para 2021 o aumento chaga a sua 5ª semana seguida, com inflação calculada em 3,40%.


       Vale lembrar que o centro da meta oficial para 2020 é de 4% e 3,75% para 2021, ambos com margem 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.


       Com relação ao PIB (Produto Interno Bruto), houve melhora nas estimativas tanto para 2020 como para 2021. A contração para este ano foi estimada em 4,55%, uma redução de 0,09% com relação à semana anterior. Para 2021 estima-se que o PIB volte a crescer com uma taxa de 3,40%.

 

By: Tony Macêdo 



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Única Apresentação do show SERESTA MODERNA: A HISTORIA DA MPB DE 1916 AOS DIAS DE HOJE no Drink Café da Lagoa!

Fotos: Divulgação.


    Os produtores Amanda Bravo & João Luiz Azevedo, orgulhosamente, apresentam o show “SERESTA MODERNA: A HISTÓRIA DA MPB DE 1916 AOS DIAS DE HOJE" com a cantora KARINA DUQUE ESTRADA e o músico JOÃO FRANCISCO NEVES no DRINK CAFÉ, na Lagoa Rodrigo de Freitas, que ocorreu nesta sexta-feira, dia 20 de novembro/2020.

Fotos: Divulgação.

Fotos: Divulgação.


   Criado em 1981, pelo violonista, cantor, compositor, arranjador e produtor musical mineiro João Francisco Neves, o show SERESTA MODERNA: A HISTÓRIA DA MPB DE 1916 AOS DIAS DE HOJE apresenta um repertório imbatível mostrando os melhores momentos da nossa música.

   O espetáculo traça o caminho dos grandes sucessos da Música Brasileira com seus maiores clássicos. História e estórias, deliciosamente, contadas e cantadas pela cantora KARINA DUQUE ESTRADA e o músico JOÃO FRANCISCO NEVES foram apresentados no DRINK CAFÉ, na Lagoa Rodrigo de Freitas, nesta sexta-feira, dia 20 de novembro/2020.

    O roteiro começa em 1899, com Chiquinha Gonzaga e a primeira marchinha de carnaval “Oh Abre Alas”, composta para um bloco de rua.

    Em 1916, o primeiro samba “Pelo Telefone” é oficialmente gravado no país, de autoria de Donga e Mauro de Almeida. Passa por “Carinhoso” de Pixinguinha e Braguinha, relata o surgimento de Carmem Miranda, em 1930, com a canção “Taí” e exalta a riqueza da composição brasileira, naquela década, com grandes sucessos de Assis Valente, Zequinha de Abreu, Noel Rosa em “Conversa de Botequim” e “Com que Roupa?” e Ary Barroso com “Aquarela do Brasil”.

    Dos anos 40 é apresentado, canções de Dorival Caymmi como “Marina” e Ataulfo Alves autor de “Amélia” aquela que era mulher de verdade.

    Dos anos 50, lembram a dor de cotovelo de Lupicínio Rodrigues em “Nunca” e “Nervos de Aço” que pergunta assim; ‘você sabe o que é ter um amor, meu senhor...’ e o surgimento da Bossa Nova de Tom Jobim e Vinícius de Morais lembrando clássicos como “Garota de Ipanema”, “Eu Sei Que vou Te Amar”, “Wave” e “A Noite do meu Bem” de Dolores do Duran.

    Dos anos 60, lembram o fenômeno Jovem Guarda, os festivais da Record e o surgimento da geração Chico-Caetano-Gil-Milton.

   Os anos 70 foram a época do reconhecimento nacional de Cartola de “As Rosas Não Falam” e “O Mundo é um Moinho” e Adoniran Barbosa com “Tiro ao Alvaro” e “Trem das Onze”.

    Os anos 80 surgiram Renato Russo, Tim Maia e Djavan, entre muitos outros.

   Dos anos 90 e 2000, mostram a chegada de Marisa Monte em “Ainda Bem” e a nova música popular.

    Em 2006, a execução mundial de "Mas Que Nada" de Jorge Benjor, uma faixa autoral do grupo, e o show se encerra com "Pela Internet" de Gilberto Gil.



Texto: João Luiz Azevedo.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

A Universal Music lança o clipe e o remix house dance “Tudo que Ela Gosta de Escutar”, do Charlie Brown Jr, assinada por DJ Lion!

Foto: Divulgação.


    Seguindo o ano de celebração dos 50 anos ao grande poeta das ruas, o saudoso Chorão, o DJ e produtor Lion lançou um super especial remix do hit “Tudo que Ela Gosta de Escutar”, do Charlie Brown Jr, que vai colocar geral para cantar e dançar. Ouça e baixe aqui: https://umusicbrazil.lnk.to/TudoQueElaGostaDeEscutarRemixPR . O videoclipe também já pode ser visto. Assista agora: https://youtu.be/WCC-Vtdvr7Q .

    A Universal Music guardou a surpresa e agora dá mais essa alegria aos fãs do Charlie Brown Jr, que estão, temporariamente, de fora do circuito aberto das pistas de dança do mundo inteiro, devido a essa pandemia.

“Procurei ser o mais fiel possível à música original, trabalhando com os steams das três guitarras originais e mantendo o vocal corrido... não fazendo tantos cortes e criando, uma linha de kick e bass mais enérgicos e também aproveitando as guitarras desde a intro, breaks e bridges pra deixar o som sempre lá em cima, bem ao estilo Charlie Brown”, disse o DJ.

    Lion passou os últimos quatro anos dedicado a cursos, produções e apresentações. Em 2019, durante seu set no Rock in Rio, Liu mostrou esse remix ao público, pela primeira vez.



Texto: Luciana Bastos.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

O cantor MARCELO MIMOSO apresenta o FORRÓ DO MIMOSO no Drink Café da Lagoa!

Fotos: Divulgação.


    Os produtores Amanda Bravo & João Luiz Azevedo, orgulhosamente, apresentam o FORRÓ DO MIMOSO com o cantor MARCELO MIMOSO, Chris Mourão (zabumba) e Fidelis Do Acordeon no DRINK CAFÉ, na Lagoa Rodrigo de Freitas, todas as quartas feiras de novembro e dezembro/2020.

Fotos: Divulgação.


    Dono de uma voz marcante e de uma interpretação que emociona, MARCELO MIMOSO é o responsável pelas noites de forró, nas quartas feiras de novembro e dezembro/2020 no DRINK CAFÉ, no Parque dos Patins, na Lagoa Rodrigo de Freitas.

   Hoje, Mimoso é reconhecido como um dos maiores cantores de forró do Brasil, fato confirmado por artistas como Flávio José, Forróçacana e Elba Ramalho, entre outros.

   Com extensa experiência como intérprete, já dividiu o palco com grandes nomes do cenário nacional. Com Gilberto Gil, Lenine, Mestre Azulão e Elba Ramalho, esteve ao lado do homenageado Dominguinhos, no 30º Prêmio Shell da Música Popular Brasileira, em 2010.

    Com Fernanda Abreu e Paula Lima, homenageou Jackson do Pandeiro, na Expo Samba, que aconteceu em 2012, no Arena HSBC, em São Paulo.

   Também foi convidado para participar do Troféu Gonzagão, em Campina Grande, por dois anos consecutivos, homenageando Dominguinhos (2014) e ‘Os 3 do Nordeste’ (2015).

   Arrebatou alguns prêmios na carreira. Com “Os Cabras”, foi vencedor dos prêmios “melhor trio” e “melhor trianguleiro” do Festival Nacional de Itaúnas, em 2006, além de ser indicado como melhor vocalista e foi intérprete da música campeã do Festival Nacional de Marchinhas, em 2015. 

    No ano de 2012, estreou como ator no premiado musical de João Falcão, “Gonzagão, A Lenda”, interpretando o Rei do Baião e, em 2014, foi indicado ao prêmio Bibi Ferreira na categoria de melhor ator. No musical, que rodou em turnê o Brasil e chegou à Colômbia no XIV Festival Ibero americano de Teatro de Bogotá em 2014, Marcelo provou mais uma vez seu talento como cantor.

    Agora, no FORRÓ DO MIMOSO ele, ao lado Chris Mourão na zabumba e o sanfoneiro Fidelis do acordeon apresentam o melhor do forró pé de serra.

    Sucessos do ‘rei do baião’ Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Raimundo Fagner, Elba Ramalho, Zé Ramalho, Alceu Valença, Gilberto Gil, Dominguinhos, João do Vale, Sivuca entre muitos outros, não deixam ninguém ficar parado.

     Com certeza, o melhor Forró da cidade maravilhosa!!!


Texto: João Luiz Azevedo.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Papo sobre Cinema!

Fonte: Pinterest


    Eai pessoal, mais uma semana acabando!
    Espero que estejam todos bem.

    Acordei agora pensando em amor, aquele sentimento complicado que ninguém entende mas acha que é especialista sabe? E por tanto hoje vamos falar de um filme ainda da minha época de escola, onde um cara não só trabalhava com amor como também colocava regras nele, começava assim.

    "Princípios básicos..." Sim estou falando desse filme mesmo, Hitch - O conselheiro amoroso (esses subtitulos dos BR me matam hahaha), dirigido por Andy Tennant e protagonizado por Will Smith e Eva Mendes que dispensam apresentações, se você não os conhece provavelmente é porque estava dormindo em um caixão a pelo menos 30 anos e não pode sair no Sol.

    O filme conta a História de Alex Hitchens (Will Smith) que ganha sua vida como consultor amoroso anônimo, que é contrato por Albert Brennaman(Kevin James), para ajudá-lo a conquistar a mulher do seus sonhos Allegra Cole (Amber Valletta). Ao mesmo tempo em que Hitchens conhece e tenta conquistar a Jornalista Sara Melas (Eva Mendes).

    Não é nem de longe um dos melhores filmes com Will Smith e nem mesmo tem uma grande trama, eu diria que é bem ok e a sessão da tarde agradece, mas eu gosto, me identifico com o Hitch, diria até que em 2005 a diferença entre eu e ele é que eu não sabia que poderia ganhar dinheiro ajudando o pessoal a namorar, porque de resto eu era igualmente desastroso (embora nunca tenha chutado meu Fate hahaha).

    Hitch é o basicamente amigão, aquele cara que tinha o talento de arrumar casais, falar a coisa certa na hora certa mas no fim não sabe lidar com seus próprios sentimentos e nem mesmo acredita neles, o que o faz desastroso e o que me faz lembrar de mim mesmo. Um vilão, isso é o que eu sempre falei que seria e como um bom vilão eu deveria sentir quase nada, no fim isso só serviu para que eu tivesse vergonha de falar sobre meus sentimentos apesar de ser muito bom com os dos meus amigos.

    Por outro lado temos toda a autenticidade de Albert e sua incapacidade quase total de seguir as ordens de seu conselheiro, ele dança estranho, é desajeitado, é exagerado, mas no fim é um fofo, e conquista a mulher de sua vida, sendo ele mesmo. Além de claro, ensinar uma lição ou duas ao Hitch, sendo uma delas não existem princípios para o amor, só existe a oportunidade de um amor. Eu devo dizer que Albert é meu personagem favorito no filme e ele nem precisa fazer muita coisa, só dançar.

    Já as mulheres, bem, Sara Melas é uma mulher independente, cheia de si, de forma alguma uma donzela em perigo, porém é o tipo de pessoa tão extremamente defensiva e explosiva emocionalmente que todas as vezes que assisto o filme me pego pensando "Jura?! Você é jornalista e escreveu um artigo acusando o cara de ser um babaca sem procurar saber o lado dele só porque sua amiga foi enganada por um cara que falou uma frase controversa e então fez você descobrir que o doutor do amor é o seu caso?!?! E você nem se deu ao trabalho de perguntar a ele?!?!"

    Já Alegra Cole(Amber Valletta), bom, ela não é importante, na verdade ela está no filme para ser o par do Albert, fazer caretas e mostrar o Hitch trabalhando.

    Não é um filme bom, mas ainda assim consegue dizer: Homens sua babaquice extrema deixa as mulheres na defensiva e evita que elas deixem os poucos homens bons(Homens de verdade tá, não vocês machões escrotos) se aproximarem delas, vocês estragam o mundo e merecem que o Hanckock coloque sua cabeça no traseiro de outro de vocês. E mulheres, vocês não estão erradas, o mundo está repleto de babacas e vocês não precisam de nós para serem grandes, mas procurem observar mais, as vezes aparecem Alberts por aí e vocês não os notam e as vezes Hitchs mas vocês os desprezam por serem parecidos de mais com os babacas.


Por: K. Kong


Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

Compartilhe nossas matérias e/ou artigos em suas redes sociais. Nos apoie!

Compartilhe já!