Pular para o conteúdo principal

.

.

Assista nossa Transmissão ao vivo aqui, clicando no Player. Atualize sua página se for necessário.

Audiência

.

.

Fale conosco, estamos on-line!

.


PLAYER / PROGRAMAS E VÍDEOS CLIPS - DESTAQUES

.

Tradutor

.

Pesquise aqui seus interesses.

.

Ligue ao vivo em nossa rádio e fale conosco.

Reprises

Siga nossa rádio.

Curta nossa Página no Facebook.

Banda da década de 90, Djangos lança primeiro single do projeto!

Foto: Divulgação.


    “100 Cortes Revisitado” pelo selo 90 Under.

    O trio carioca Djangos (que já respondeu pelo nome Kamundjangos na década de 90) lançou a música Bibliografia, primeiro single do projeto “100 Cortes Revisitado”, pelo selo 90 Under - destinado a lançar material de artistas da década de 90, que ainda estão na ativa.  “100 Cortes Revisitado” se caracteriza por regravações de músicas não lançadas oficialmente pela banda. A ideia do projeto começou por conta de um show, gravado ao vivo, em uma casa de shows de Curitiba, no dia 29 de janeiro de 1997.  A fita “demo” cassete se espalhou rápido pelo público underground, da época. Vale ressaltar que a maioria das músicas co ntidas nesse registro foram gravadas no primeiro disco da banda (“Raiva Contra Oba Oba” – LOS DJANGOS - Warner – 1998 – produção de João Barone, dos Paralamas do Sucesso e do ganhador do Grammy Latino, Tom Capone).

    Na década de 90, várias bandas do underground conseguiam, sem internet, manter uma boa divulgação usando os fanzines e uma parte da grande mídia engajada na música (exemplo da MTV e dos jornalistas nos grandes jornais das capitais que davam bastante espaço para música independente). Os artistas, mesmo sem grandes orçamentos ou aproveitando os custos de viagem, alimentação e hospedagem bancados por algum festival, conseguiam viajar para outras cidades para se apresentar, mantendo assim, uma plateia sempre ávida por novidades.

    Assim, na época, Kamundjangos (hoje Djangos) foram tocar em Curitiba, em 1996, na mesma noite em que os Skuba, outra banda aficionada por ska, num dos palcos mais lindos em que os cariocas haviam tocado, o da casa outrora chamada Aeroanta. Por sorte, a casa registrava o áudio direto da mesa de som e em vídeo. De posse, dessa fita cassete, a banda lança uma demotape (fita K7 de demonstração) chamada “100 Cortes – Ao Vivo no Aeroanta (Curitiba)”.

    Algum tempo depois, o trio (Marco Homobono – voz e guitarra, Lyle Diniz – baixo e Jj Aquino – bateria) reparou que essa fita tinha uma demanda enorme a tal ponto que sua produção foi terceirizada por um coletivo carioca, a Sociedade HQ, que duplicou e vendeu as fitas, com capinha em xerox colorida (um luxo na época). Ou seja, a demo “100 cortes” era um hit do underground passado de mão e mão, a pirataria “do bem”.

    A pandemia de Covid-19 interrompeu os ensaios para composição das músicas do terceiro disco da banda, mas deu outras ideias: regravar algumas das quatro canções que sobraram da fita “100 cortes”. Nesse espírito, os Djangos fizeram uma nova versão para “Bibliografia”, um reggae-dub, em que a letra se limita a citar o nome de artistas, bandas e até objetos que influenciavam o trio na época – e continuam como referências na cabeça do trio.

    Com produção conjunta do trio e do amigo, músico, compositor e produtor, Jomar Schrank, os Djangos lançam o primeiro single do projeto “100 Cortes – Revisitado”, em breve nas melhores prateleiras da internet pelo selo 90 Under.



Texto: Alexandre Aquino.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

Comentários

Compartilhe nossos artigos e matérias em suas redes sociais.

Postagens mais visitadas deste blog

Renan Kneipp, uma das apostas da música pop/R&B brasileira, acaba de lançar seu primeiro EP, '1/4'!

Fotos: Tarricone.   Novo artista da música pop brasileira, Renan Kneipp acaba de lançar seu primeiro EP, '1/4', com os singles 'Save the Little Boy' e 'Carente', além de 3 músicas novas que não vão sair da sua cabeça.   Renan Kneipp, finalmente, lançou seu primeiro EP, '1/4', que vem sendo trabalhado desde março, com o lançamento dos singles contagiantes Save the Little Boy e Carente. O projeto conta a história de uma pessoa em busca de própria identidade enquanto vive experiências marcantes e sensíveis no mundo real. Tudo isso com bastante energia e autenticidade enquanto o cantor explora combinações e ritmos diferentes. Agora, com o lançamento de '2 de janeiro', 'A Gente Se Vê' e 'Santo', o artista conclui a narrativa do projeto apresentando um novo lado seu: um lado sensível e independente com boas expectativas para um novo ciclo, enquanto celebra a jornada de seus 25 anos.  '1/4' é uma história que todos nós conseguimo

The Realness Festival: Vencedoras de RuPaul’s Drag Race All Stars, ALASKA THUNDERFUCK e KYLIE SONIQUE se apresentam no Brasil em 2022!

Fotos: Divulgação.   Prometendo ser o maior festival drag da América Latina, evento também receberá nomes como Jujubee, Trinity K Bonet, Denali Foxx, Tatianna, Rajah O' Hara e Roxxxy Andrews, que fizeram sucesso no reality.   A cidade de São Paulo está prestes a receber alguns dos maiores nomes de Ru Paul´s Drag Race, do universo drag e da comunidade LGBTQIA+. Arrastando multidões por onde passa, o time encabeçado por Alaska Thunderfuck e Kylie Sonique – vencedoras da segunda e a sexta (última) temporada da edição All Stars de RuPaul´s Drag Race – chegam à capital paulista para apresentação única. Além das campeãs, nomes inesquecíveis como Jujubee, Trinity K Bonet, Denali Foxx, Rajah O' Hara, Tatianna e Roxxxy Andrews, trazem ao Brasil toda energia e performances conhecidas no programa. As apresentações acontecem no The Realness Festival, que promete ser o maior festival drag da América Latina, que acontece na Audio, no dia 13 de agosto de 2022. Os ingressos já estão à venda. F

Papo Sobre Cinema!

Fonte: Pin.it.com    "Obrigado Chadwick pelo o que fez por nós!" Disse uma mulher Negra emocionada enquanto o abraçava em um programa de TV que colocou o ator atrás de um cartaz do filme Pantera Negra.      Que tal um papo diferente nesse fim de mês?      Vamos falar sobre representatividade, acho que vocês já estão prontos para essa conversa, se não estão geralmente é porque são Homens Héteros Cis e Brancos e nesse caso, bem, leia mesmo porque você precisa até mais que os outros consumir esse tipo de conteúdo, hahahaha...      Antes de chegarmos na Representatividade precisamos primeiro entender outras duas coisas, primeiro a 7ª arte, para fazer cinema e Tv é preciso saber que você precisa provocar reações visuais e auditivas para então criar um sentimento no seu público e tudo isso é feito de acordo com sua intenção, com os signos que você escolhe usar, a sua visão deve cativar a atenção do público e no começo era menos complexo, bora de exemplo:      Em 1896 os irm