m Rádio Boa Música FM / Blog de Notícias e Streaming de áudio e vídeos: Maio 2021

play de música

câmera estúdio

câmera estúdio

Player Tv Streaming

Visitantes:

Chat On-Line (Botão Vermelho)

Fale conosco, estamos on-line!

Sharethis

Destaque

Destaque

PLYAER 2 COM VÍDEOS CLIPS - KS

Pesquise aqui seus interesses.

Banner do whats para ligação

Siga nossa rádio.

Compartilhe nosso blog e programas ao vivo para seus amigos e familiares clicando abaixo nos botões

Compartilhe nosso blog e programas ao vivo para seus amigos e familiares clicando abaixo nos botões

Compartilha para diversas Redes Sociais

Clique no botão Flutuando do Whats e ligue ao vivo

Reprises

Galeria do Instagram

Minhas Redes Socais

Visitas

OnSignal - Push Notification

segunda-feira, 31 de maio de 2021

OUTROEU surpreende com nova sonoridade em “Preciso Dizer”

Foto: Divulgação.



    Single já está disponível em todos aplicativos de música e clipe também.

    Quem acompanha a OUTROEU sabe que fazer diferente é a marca registrada do duo. Sempre trazendo novas propostas em suas letras e clipes, desta vez, Mike e Guto decidiram surpreender com uma nova melodia. “Preciso Dizer” deixa de lado as produções realizadas com banda e aposta na união do orgânico com o eletrônico, descoberto neste momento de pandemia pelo duo. O single está disponível desde o dia 8 de abril, e clipe, que traz o alto astral característico da OUTROEU, chegou ao YouTube, no dia 9 de abril.

    "Tente fazer de hoje um dia bom, nada vai te deixar na mão. Alguém legal me faça esquecer, sei que tá difícil, tá difícil, mas preciso dizer”, essa é só a primeira parte do refrão chiclete que não vai sair da sua cabeça. A canção traz em toda sua letra uma mensagem de positividade, de enfrentar os momentos difíceis, ver o lado positivo das situações e seguir sempre adiante.

    E com uma mensagem dessas, a melodia não poderia ser outra. Produzida pelos meninos da OUTROEU, Túlio Airoldi e Alex Favilla, a canção é extremamente animada e com uma leve pegada vintage, trazendo elementos eletrônicos unidos ao orgânico característico do duo para criar uma sonoridade diferente de tudo que o duo já apresentou.

  Já o vídeo mantém a característica dos últimos clipes da OUTROEU que trazem brincadeiras, dancinhas e muita diversão, ao mesmo tempo, que mostra como a canção foi escrita e produzida pelos próprios cantores durante a pandemia.

“Essa música a gente compôs com o Pablo Bispo, Arthur Marques e o Alex Favilla aqui em casa. Foi nossa primeira vez compondo em grupo assim, já havíamos composto junto ao Arthur, mas foi nossa estreia com o Pablo. É muito massa compor com essa galera responsável por grandes hits do POP, ficamos muito felizes de fazer música com eles”, conta Mike.

“O Alex chegou aqui para compor com algumas bases feitas e na hora a gente já começou a cantar, bater palma e fomos colocando a letra, entendendo o que a gente queria falar e a melodia. Na parte da produção, a gente aprendeu muito com o Alex de como fazer algo do nosso jeito de tocar instrumento e ao mesmo tempo mudar um pouco com essa pegada programada, eletrônica, que foi nosso maior desafio. No final, juntos conseguimos produzir algo que fosse realmente nossa cara”, explica Mike.

“Preciso Dizer veio muito da nossa vontade de lançar uma música do jeito que a gente tava fazendo em casa. Começamos a compor mais, produzir mais, fazer beat, programando, usando esse software do live e a gente queria muito colocar isso para frente. Foi quando chamamos o Alex para produzir junto com a gente esse single e nosso próximo EP, e ele já trouxe a base pronta, compomos em cima disso e gravamos alguns instrumentos”, relembra Guto.

“É uma música que a gente tá curtindo demais tanto que escolhemos ela para ser a primeira a sair. Gravamos o clipe em uma casa em São Paulo que traz um astral de tentar fazer o dia bom como a mensagem da letra, preciso dizer que mesmo que seja difícil, vai ficar tudo bem. Estamos colocando pra fora uma verdade que veio pra gente, desse momento de pandemia e curtimos muito sair da nossa zona de conforto”, completa Guto.



Texto: Gabriela Gimenes.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

domingo, 30 de maio de 2021

Jovem preto é agredido com soco no rosto por policial.


Jovem preto é agredido com soco no rosto por policial. 

Published from Blogger Prime Android App

Mais um ato de agressão policial. A cada dia vemos o crescimento do abuso de autoridades. Aonde isso vai parar?!!! O presidente deu e dá apoio aos policiais para continuarem com esses atos absurdos. Mas nós pretos e pretas não valoa permitir e nossas redes sociais e plataformas digitais são nossa arma.

Juntos seremos invencíveis.

A @radioboamusicafm
é apenas uma das plataformas QUE ALCANÇAM O BRASIL E DIVERSOS PAÍSES, além de outros meios de comunicação, que mostram e protestam contra essas e outras agressões, bem como as agressões às mulheres, abusos de menores e agressões aos LGBTQIA+

ELES NãO VÃO NOS CALAR.

Esse é um repost de  @profadrianavasconcellos.

Qual vai ser a desculpa?
Racistas desprezíveis, desonestos e covardes...vão pedir desculpas ?


Published from Blogger Prime Android App


O alto comando vai dizer que foi fato isolado e não é conduta padrão,caçar e matar prete?
@corregedoria_policiais @mpsp_oficial


Veja vídeo chocante no link abaixo:

Matéria de @ryck_bastos 



sexta-feira, 28 de maio de 2021

A TRANSGERACIONALIDADE DA RIQUEZA E DA POBREZA

Fonte: Pinterest


"Analisando essa cadeia hereditária / Quero me livrar dessa situação precária / Onde o rico cada vez fica mais rico e o pobre cada vez fica mais pobre / E o motivo todo mundo já conhece É que o de cima sobe e o de baixo desce E o motivo todo mundo já conhece É que o de cima sobe e o de baixo desce..."

(Trecho da letra Xibom bombom, do grupo musical “As meninas”).

    Já parou para pensar o quanto nós nos acostumamos a culpar os ricos por todos (ou quase) os problemas sociais que enfrentamos? Quando não são os ricos, culpamos o Diabo, mas isso é outra história (risos). Claro que problemas como a exploração de mão de obra e a falta de políticas públicas que favoreçam mais a população do que a indústria são necessárias, contudo, dificilmente alguém olha para baixo quando se está no topo e o motivo é bem simples: por medo de cair.

    Por isso, o sistema mantém, como diz o trecho da música de sucesso durante os anos 90 do século passado sobre a hereditariedade, que nos passa a ideia de transgeracionalidade, algo que é transmitido de pai pra filho(a), que devemos ensinar nossos filhos o caminho da prosperidade financeira em vez do consumo. Mas, o que isso significa? Que o pai rico ensina seu filho a ser rico, enquanto o pai pobre ensina seu filho a ser pobre.

    Como assim?

    Acredito que pouca gente tenha prestado atenção na letra da música em si, mesmo porquê a vocalista e suas dançarinas chamavam muito mais atenção (risos). Mas já naquele tempo, a tentativa de abrir nossos olhos para esse que, em minha opinião, faz-se um dos problemas mais sérios que o Brasil enfrenta atualmente, além da falta de saúde educação, é a falta de uma educação financeira inteligente.

    Somos forçados, dia-a-dia, a gastar todo dinheiro que conseguimos através do nosso trabalho e, muitas vezes, sequer sabemos onde gastamos. Os comerciais de TV nos diz para comprar isso ou acolá. As propagandas dos outdoors nos incita à ir às compras. A grama do vizinho estando mais verde que a nossa também já é motivo de, em busca de status, não ficar por baixo. E sem perceber a ideia de poupar e/ou investir, quando ver, já foi! E a razão é simples: nossa situação transgeracional* nos ensina e reforça a pobreza.

    O fato é que sempre procuramos um bode expiatório para nos eximirmos de qualquer eventual culpa quando o assunto é dinheiro, e há para isso uma explicação lógica até e tem a ver com os chamados vieses psicológicos ou cognitivos e, um desses vieses que nos faz acreditar que o rico é rico pelo simples fato de ser mau é o viés da confirmação.

    O viés da confirmação nos permite procurar e aceitar com mais facilidade informações que confirmam aquilo em que já acreditamos. "Isso significa que teremos menos chances de encontrar informações que vão contra o que acreditamos".

    O mais engraçado - pra não dizer trágico - é que o rico ensina seu filho a lidar com o dinheiro. Isso se chama educação financeira. Enquanto que o filho do pobre é educado para escassez e desejo de consumo. Por isso, isto é, em sendo apenas consumidores e, de acordo com as palavras de Vernon Johns, ativista dos direitos civis dos pretos norte-americanos, não passamos de parasitas. Não é uma tarefa fácil, porque devido a esse bloqueio cognitivo, falar sobre educação financeira é o mesmo que ser visto como neoliberal e visionário. Nos acostumamos tanto com a pobreza que já não desejamos mais sair dela.

    As eleições presidenciais de 2022 estão batendo às portas. A população preta quase que uníssona está expectando a candidatura e, consequentemente, o elegimento de um certo candidato de esquerda o qual desde já, vem sendo promovido à salvador da pátria. E essa expectativa tem nome: benefício social. Sim, sei que serei chamado de traidor da raça e de neoliberal por alguns, mas entenda: “os pobres sempre terão convosco” (João 12:8).

    Sim, quem me conhece sabe o quão avesso sou à doutrina cristã por “N" razões, mas também sei o quanto a “pretaiada” adora essa religião que os manteve cativos quer fosse no corpo quer no espírito por mais de 300 anos e que, infelizmente, permanece até os dias de hoje. Por isso, usei deste versículo para exemplificar a questão visto ser pertinente uma vez existindo a diferença entre os que vivem na pobreza e os que querem estar na pobreza.

    Então, caso se sinta ofendido(a), não leve para o pessoal, pois essa mensagem é para aqueles que desejam mudar a forma de pensar e agir, que prospecta o futuro em vez de viver somente o aqui e agora, porque sim, são essas migalhas assistencialistas o que nos mantém não apenas dependentes do Estado que, diga-se de passagem, encontra-se cada vez mais mínimo e aquém de suas responsabilidades e assim permanecerá, mas cada vez mais pobres também.

    Educação financeira é a chave para alcançarmos nossa liberdade financeira e, senão uma vida regalada, digna pelo menos. Mude de hábito. Eduque-se financeiramente e converse sobre finanças pessoais com seus filhos(as). Ensine-os a poupar e a transgeracionalidade fará o resto.



Por: Hélio Fernandes



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.


quinta-feira, 27 de maio de 2021

Papo sobre cinema!

Fonte: Pinterest



    "Ah para filha, o seu Pai ta tentando" pelo o que me contaram é nessa hora que os filhos ficam mais putos, porque com certeza a Mãe tá passando o pano para um Pai babaca. hahahaha...

    The Mitchells vs. the Machines(A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas), o que esperar de uma animação que tem um título de uma linha inteira?

    Uma experiência bem maluca pelo menos e geralmente que seria da Pixar, só que não. A Sony Pictures Animation nos trouxe uma animação peculiar, diferentona, colorida, recheada de piadinhas e ao mesmo tempo abordando de forma muito bem trabalhada assuntos como auto aceitação, família, apocalipse das máquinas, Furby do mal e a diferença entre um cão, um porco e um pão de forma. hahaha...

    Bom eu já falei que o filme é bom então resta agora falar de tudo mais certo, certo. Eu, Kong, em si, não manjo muito de família né, uma vez que os bicão da Ilha da caveira detonaram os meus pais, mas estudo bastante e esse filme consegue mostrar um problema comum nas famílias em geral de uma forma muito interessante, falando para os pais, "deixem de ser tontos, apoiem seus filhos e aceitem que os tempos são sempre outros e eles não vão ser exatamente como vocês querem", mas também fala aos filhos, "cara deixa de ser babaca, seu pai desistiu de coisas para dar a você uma vida onde você não precise desistir de nada e tudo que ele tá te pedindo em troca é atenção". Claro que eu sei que nem todos os casos são assim, mas pelo jeito na família do diretor assim como em muitas outras é! Sim, eu falei na família do diretor mesmo, Michael Rianda é da família Mitchell original(pelo menos é o que ele diz, por isso tem até uma foto deles no final). Mas não é só isso, os Mitchell tem personalidade, coisa que eu dou muito valor, uma filha filmmaker, narradora e a editora do filme que ainda nos deleita com montagens inteligentes, desde o macaco que grita a uma simples animação de coração que se quebra, uma mãe super good vibes e encorajadora que vira literalmente o bichão quando alguém mexe com suas crias, um filho mais novinho (meu personagem favorito), que é fissurado em dinossauros, que é bem carismático até, mas Infelizmente não tem quase nada de destaque, e um pai chucrão que não manja absolutamente nada de tecnologia, defensor da vida pré tec, que deu para toda família uma chave Chave de Fenda Robertson n3 anti deslizante (inclusive deu uma de presente de casamento para a esposa.. Sra Kong vai ganhar alguma coisa bem útil assim também, eu). Também tem um cachorro que… bem… é o escudo definitivo contra robôs, e eles ainda ganham mais dois integrantes cômicos Erik e Erik também, quando você entender vai saber que é a receita do sucesso.

    Ainda deixando o apocalipse de lado, você já achou que a família vizinha é melhor que a sua? Não? Os Mitchells sim, a Família Posey(Pose hahaha), na moral, gosto dos Posey, mas eles só servem para Linda ver que a família dela é melhor, chega de família e vamos aos robôs né…

    Uma lição para quem gosta de bater nos teclados e telas, seu celular não gosta disso e para os amantes de casa totalmente Smart e me perguntam como eu vivo sem microondas, se o bicho pegar e os robôs se revoltarem eu vou estar um passo à frente de vocês na sobrevivência hahaha.

    A pai tem um motivo até que legal para se revoltar, as pessoas realmente não dão valor as outras pessoas e as descartam com facilidade como qualquer coisa na vida e apesar dos robôs em si serem engraçados de mais e simularem todo o tipo de emoção que eles dizemnão entender mais do que muito bem, nada nada nada nada vai superar a referência a problemática dos Brinquedos Furby e o Furby gigante que solta raio, além do fado de que sim, somos hoje controlados e dependentes das máquinas e desligar nosso Wi Fi vai sim causar o colapso da humanidade.

    A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas é aquele filme que você procura para assistir com as suas crianças e substituir aquelas coisas terríveis chamadas de Galinha Pintadinha, Mundo Bita e essas outras coisas que eeeeka! Meu filho não vai assistir essas coisas.



Por: K. Kong



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

quarta-feira, 26 de maio de 2021

Transcender-se



Transcender-se


O desnudar-se exterior/ Contempla as imensidões./ O transformar-se interior/ Alivia os corações./ Almas vibram em paixões/ Diante de seus reflexos./ Acaloradas em suas vibrações/ Transtornam em perplexos./ Inquietar-se em ilusões.../ Mostrar-se em alegrias./ Revelar-se em conexões/ Mover-se em nostalgias.



Ficheiro:Transgender Pride flag.svg – Wikipédia, a enciclopédia livre

quarta-feira, 19 de maio de 2021

Subterfúgio




Subterfúgio


Sinto o pesar do mundo/ Num profundo suspirar./ Triste lamuriar bem fundo/ Permito um novo olhar./ Pelo olho à transbordar.../ A insistência do antigo eu/ Com as estrelas a nos brindar/ No céu se escondeu./ No intenso reverberar.../ Tudo aqui me envolveu./ Por agora vou pensar/ Pela luz que me esqueceu.


Encontre imagens stock de desenho ilustração de um anjo menina em HD e  milhões de outras fotos, ilustrações e imagens vetoriais livres de direitos  na coleção da Shutterstock. Milhares de fotos novas de alta qualidade são  adicionadas todos os dias.

sexta-feira, 14 de maio de 2021

ALLU lança remix de “O Pau Vai Torar” produzido por DJ Jarley e promete nova fase na carreira!


Fotos: Divulgação.



    Após quatro meses sem lançar músicas, o artista liberou o remix da última faixa de trabalho.

    O cantor ALLU acaba de liberar o remix do último single “O Pau Vai Torar”. A faixa foi repaginada por DJ Jarley, um renomado produtor musical do interior do Pará que a deixou com uma mistura de música eletrônica com pop e funk. Você pode ouvir agora e também aprender a letra, assistindo ao lyric vídeo disponibilizado no canal do artista - https://www.youtube.com/watch?v=zlRC3GR0G-o

    A faixa em questão surgiu ao ouvir a frase (que dá nome a música) de Jojo Todynho em “A Fazenda 12”, numa discussão com outros peões e caiu no gosto do público que acompanha o artista. “A ideia de trazer a música em outra versão foi exatamente porque a galera abraçou muito o trabalho. Fiquei feliz pela repercussão e resolvemos liberar um remix. Mas logo logo, muito em breve mesmo, teremos música nova”, conta ALLU.

    O carioca de 25 anos começou numa dupla e com o fim dela, assumiu o nome, e tem ganhado espaço no mercado fonográfico. Após este pequeno hiato na carreira, ALLU explica o motivo do tempo que ficou sem lançar alguma coisa: “Estou preparando coisas novas e bem maiores. Estou trazendo um amadurecimento visível pro meu trabalho. Não mudarei só a minha essência nessa ‘nova fase’, pois o resto, creio que a galera vai gostar ainda mais”, finaliza.



Texto: Luana.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

quinta-feira, 13 de maio de 2021

Papo sobre cinema!

Fonte: Pinterest



    "Você não entende, quando eu era menor…" e é assim que a justificativa vazou desse plano.

    "I See You" (A espreita do Mal). Quando eu falei sobre "Fuja" acabei esquecendo de falar sobre algo que sempre me incomodou, quem é que dá os nomes em Português pelo amor de Deus?!?!

    Ok tem muito título por aí que não dá para traduzir, mas cara "Eu vejo Você" tá pronto já aí a hora que alguém lançar um "Stalk of Evil" vão dar o nome de "Eu Vejo Você" aqui no Brasil, tem vários exemplos, mas para não alongar vou nos mais rápido de lembrar :

    The Hangover  = Se Beber não Case( 2009)
    Hot Tub Time Machine = A Ressaca(2010)

    Get Out = Corra!(2017)
    Run = Fuja(2020)

   Sendo que em ambos os casos o título original tem uma melhor ligação com o filme, assim como o caso do filme de hoje. Por que Brasil?! Por queeeeee!?! (tô sabendo que Portugal e Coréia também dão dessas hehehe)

    Mas agora falando do filme, bom dessa vez eu posso dizer que tive uma experiência mais completa quanto a atmosfera do filme, pois a Sra. Kong me falou que queria assistir um filme de Terror e sinceramente, eu sou bunda mole de mais da conta, não assisto terror, não tenho medo de Kaeju, Dragões, Mutações, Zumbis e muito menos de Humanos, mas fantasmas e Demônios e etc… Eu não posso socar então prefiro ter medo ou pelo menos respeitar seriamente, vocês lá e eu cá, filme de terror pra mim só "O Ritual" (2011) e "Livrai-nos do Mal" (2014), e ainda assim só durante o dia. Obrigado.

    O filme te apresenta uma cidade, cores e trilha típicas de um filme de terror e situações das quais todos estão já acostumados a esperar o típico susto dos Scary Movies de hoje em dia, mas se esse filme é terror, ele te surpreende com a falta de susto genéricos e te dá o gostinho do que para esse covarde aqui é o verdadeiro terror, que é te deixar amedrontado sem saber o que vai rolar, ou o que diacho tá rolando. Mas com a certeza que tem alguma coisa aterrorizando aquelas pessoas e quando a coisa aparece, ela não pula na tela e quase te causa um infarto por culpa da quantidade de gordura que você ingere e sua mulher já te avisou que vai entupir suas veias tudo hahahaha. Mas ainda assim vocês diz "que viagem é essa maluco!!".

    E se por acaso esse filme não for um filme de terror, mas sim um suspense, bem, ele te engana algumas vezes porque se o que mata não é sobrenatural então porque canecas voam, talheres somem, TVs Ligam sozinhas e fotos desaparecem?

    E mais ainda, o que a investigação policial do assassino da faca verde tem a ver com tudo isso e com os problemas da família principal?

    Muita pergunta né?

    Mas não se preocupe o filme responde tudo e de uma forma bem legal até, você assiste o filme quase que todo, aí você vê o antagonista e o filme para, aí começa um novo filme, um filme que te explica tudo que você viu aí tem um plot, outro plot e no fim pega a explicação típica de porque o vilão é o que é e mata ela, só achei justo, quem na vida real quer saber o motivo pelo qual algo que te fez mal fez Mal? A gente só quer é mandar para tonga da mironga do Kabuletê (se isso tiver algum significado fora disfarçar o palavrão por favor me contem, minha Mãe e tios precisam saber que existe).

   Eu queria ter o que falar dos personagens, mas a Helen Hunt nesse filme tem cara de nada até quando alguma coisa acontece e nem sei se daria para justificar.

   Judah Lewis é um adolescente que deveria estar revoltado/fechado por conta da situação dos pais, mas como a importância dele é só levantar a dúvida se é ele que tá aprontando ou não então o roteiro optou por não mostrar mais sobre ele e bora combinar que foi uma boa escolha no fim das contas.

    Jon Tenney, ah ele é o Policial mau, parceiro do policial bom, vocês vão entender. No fim mesmo quem tinha que entregar e entregou foi Owen Teague, ele te deixa tipo "maluco esquisito" depois "aff que babaca" e depois "eita… péra..."

    E o filme chega no fim assim, não pude sair acertando tudo do filme porque já fui assistir com medo e não tô nem aí para sinopses porque se eu ler aí que estrago a experiência de todo mundo mesmo porque acerto tudo que vai rolar(não eu não acertei "O Sexto Sentido 1999" e nem você, deixa de pagar de inteligente) e também porque duvido muito que muita gente vai entender o filme antes da hora, Devon Graye e Adam Randall souberam como escrever e como dirigir de maneira inteligente.



Por: K. Kong



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

quarta-feira, 12 de maio de 2021

Refletor




Refletor


As luzes abraçavam.../ O que o olhar refletia./ Miudamente elas clareavam/ O que a emoção trazia./ As miudezas suplantadas/ Se mostravam arredias./ E em cada suspirada.../ Era uma lágrima que caía./ A madrugada me ensopava.../ Pelo calor que fazia./ Nela eu rememorava/ As ideias que surgiam.


terça-feira, 11 de maio de 2021

Samba arretado domina Norte e Nordeste!

Fotos: Patrick Gomez\Divulgação.


    A cantora pernambucana Carla Rio está mesmo com a corda toda, seu single “Samba Arretado”, que vem agradando ouvintes, em todas as plataformas digitais, acaba de chegar às principais rádios dos estados do Norte e do Nordeste.

    O dueto com Dudu Nobre tem composição de Carla Rio em parceria com Alceu Maia, seu cavaquinhista e diretor musical, e faz uma brincadeira muito bem humorada com expressões e gírias usadas em Pernambuco.

“Aqui, papai é painho, coisa pouca é um tiquinho, gente lesa é aruá...”.

    Após um show realizado no Rio de Janeiro, Carla aproveitou o período de isolamento social para arrumar as ideias de um jeitinho bem pernambucano e, foi assim, pensando em cada palavra, que nasceu Samba Arretado.

    Gravado no estúdio EME, no bairro da Barra da Tijuca, na cidade maravilhosa, seguindo todos os protocolos e recomendações das autoridades sanitárias, o encontro com o cantor e compositor Dudu Nobre lhe rendeu um making-of que serviu como um vídeo clipe que está disponível no canal oficial, no YouTube.

    A cantora ‘arretada’ não parou em nenhum segundo nesta pandemia, sempre buscando o melhor para oferecer ao seu público e acaba de compartilhar, em seu canal do YouTube, o novo projeto, “As Damas do Samba”, fazendo uma homenagem as grandes estrelas do samba, apresentando diversos clássicos do gênero, como: Elizeth Cardoso, Alcione, D. Ivone Lara, Beth Carvalho, Leci Brandão e Clara Nunes, dentre outras. Esse projeto foi contemplado no Edital de Premiação, incentivado pela Lei Aldir Blanc, no município de Recife.

    Quem assina a produção executiva desde projeto é Georgea Rio, e contou com uma equipe de músicos pernambucanos de primeira linha, entre eles: Pepê Silva, Bruno Cavalcanti e Nego Thom.



                                                                                                                        Texto: Luciano Oliveira.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

segunda-feira, 10 de maio de 2021

Foco é o objetivo da canção do Rapper Satorootz!

Fotos: Divulgação.



''O Rap me tirou de uma situação ruim que eu estava vivendo mentalmente''
Satorootz.

    Nada é fácil na iniciação de todo e qualquer projeto de vida.  Por isso, em cada trabalho é necessário ter muito FOCO naquilo em que se precisa realizar.  Este é o principal motivo que move a carreira artística do cantor Satorootz que ama o estilo musical do Rap.

    Com o isolamento social, por causa pandemia, Satorootz resolveu usar esse ambiente isolado para conectar-se ainda mais com o mundo Rap, transformando esta situação calamitosa, num momento favorável. 

    É bem recente, todavia de extrema importância, a admiração que o jovem cantor tem pelo estilo Rap. É bem marcante para ele, pois no começo de 2020, bem antes da pandemia, o rapaz participou de duas batalhas de rimas. Ganhou da forte dupla concorrente e foi eleito o melhor rapper na final da disputa.  A partir daí, a empolgação do garoto foi tanta que, de imediato, começou a escrever muitas músicas, extraindo-as do subconsciente, dando vida às letras, até como forma de distração de jogar para o papel tudo aquilo que o inspirava. Com muita determinação, decidiu levar isso à frente.

    Satorootz adquiriu grandes e boas referências musicais, dentro do diversificado mundo do Rap, tais como: Aka Rasta, Mc Igu, Derek, Yunk Vino, Veigh, Filipe Ret, Kayblack, Leozin e Dalua, dentre outros. ''O Rap me tirou de uma situação ruim em que eu estava vivendo mentalmente.  Resolvi me deslocar mentalmente e a partir daí, passei a me sentir mais feliz, ver o mundo de forma ''transparente'' e me aproximar do mundo artístico. Com certeza absoluta, agora não passo um dia sequer sem escutar música, pois ela me move. Quero transmitir às pessoas, a minha mensagem de força e superação, através das melodias das minhas músicas e tentar salvar vidas que ainda est&a tilde;o num caminho perdido. Esse é o meu FOCO principal'', contou Satorootz.

   Para entrar no ano de 2021 com o ''pé direito'', já no dia 01 de janeiro, o menino prodígio do Rap, lançou o single chamado ''FOCO'' que leva o mesmo nome do projeto do EP que tem intenção de salvar vidas.  O sucesso musical já está na mente e na ''boca do povo''. 

    FOCO está bem tocada nas mídias.  O cantor ainda está trabalhando esta canção dentro do mercado fonográfico, mas está prestes a publicar o segundo material que possui uma melodia diferente de "Foco". ''As coisas estão caminhando e isso é ótimo, espero que até o fim do ano eu tenha um reconhecimento nacional, pois a música é vida para mim é ela que me salvou de diversos momentos ruins. Tenho orgulho de dizer que faço o que amo, mesmo com pouca visão do povo sobre meu meio artístico, mas tudo está fluindo'', declarou o cantor.

Conheça no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=2-dcmQT0VEI

Instagram: @sato_gabriel



                                                                                                                              Texto: Joacles Costa.




Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

sexta-feira, 7 de maio de 2021

P.A. & P.H. levantam os punhos contra a violência policial em video clipe!

Fotos: Divulgação & Fernando Monteiro



    Lançamento dos gêmeos do RAP é um protesto pela igualdade racial.

    P.A & P.H – Twins of Rap, são Pedro Alexandre e Pedro Henrique, os Gêmeos do RAP. Os irmãos nasceram em Curitiba, Paraná, e estão se destacando na cena internacional. A dupla começou sua carreira cedo, em 1996, quando tinham apenas 6 anos, e chamaram a atenção de Eduard Irimia, fundador e CEO do Superkombat Fighting Championship e produtor do Superfilm e da Dream Makers, de Hollywood. Inclusive, Eduard é o promotor que descobriu e impulsionou Florian Munteanu para o elenco do filme Creed II, tornando-o o ator principal no papel de Viktor Drago. Além disso, a marca Superkombat fez parte do ringue final do filme com Sylvester Stallone.

    A partir daí, P.A & P.H foram convidados a visitar a Europa e Hollywood, juntamente com a Beyond Skills e com a Dream Makers, além de serem entrevistados pela BFTV, uma das principais webtvs brasileiras do continente europeu. Os Gêmeos também já dividiram palco com os rappers norte americanos Ja Rule e Soulja Boy.

    Agora, os gêmeos anunciam seu lançamento, "Levante os Punhos", single acompanhado por vídeo clipe, que integra o primeiro álbum oficial da dupla. O som, dedicado à ancestralidade, é um verdadeiro protesto contra a violência policial, já o refrão dos backing vocals Bruno Sann e Thamyres Borges levam fé e esperança a quem sofre com o racismo todos os dias.

"A Levante os Punhos é a voz dos que se foram, é o grito da nossa alma, o hino do nosso povo. Meu avô foi arrancado dos braços de sua mãe com cinco anos de idade para ser escravo, somos a segunda geração pós-escravidão", reflete a dupla.

    A batida fica por conta de Rafa Ink, beatmaker que foi apresentado aos gêmeos através de um amigo em comum, Fernando Coan. Influenciados por Racionais MC’s, Notorious Big, 2Pac, Jadakiss e JayMax, os irmão introduzem a música com uma voz sendo entoada à capella que clama pela vida. Já o clipe de Fernando Monteiro traz o trecho de uma reportagem por Maju Coutinho sobre a morte do jovem negro, João Pedro, brutalmente assassinado por policiais, introduzindo as rimas muito bem construídas de P.A & P.H.



Texto: Fernanda Azambuja.



Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

Compartilhe nossas matérias e/ou artigos em suas redes sociais. Nos apoie!