Pular para o conteúdo principal

.

.

Assista nossa Transmissão ao vivo aqui, clicando no Player. Atualize sua página se for necessário.

Audiência

.

.

Fale conosco, estamos on-line!

.


PLAYER / PROGRAMAS E VÍDEOS CLIPS - DESTAQUES

.

Tradutor

.

Pesquise aqui seus interesses.

.

Ligue ao vivo em nossa rádio e fale conosco.

Reprises

Siga nossa rádio.

Curta nossa Página no Facebook.

Papo Sobre Cinema!

Fonte: Pin.it.com



    "Quando se é culpado desde o momento que nasce" EITA POR...ops perdoem o rompante, mas para ser sincero acredito que mesmo sabendo disso nós nunca estamos prontos para essa conversa, é sobre isso e não, não está nada bem.

    Just Mercy (Luta por justiça), um filme lançado em 2019 e um filme que me arrependi profundamente ontem de não ter assistido logo que foi lançado, não é o filme mais lindo que você vai ver, Destin Cretton escolhe de forma acertada limitar nossa visão escolhendo enquadramentos mais fechados, afinal estamos falando sobre prisioneiros, mas não só dos que estão atrás das grades, mas também dos que estão fora a mercê de uma Justiça Branca e digo "estão" no presente mesmo porque tudo que é contado aqui nessa História real ainda é realidade tanto lá quanto aqui no Brasil.

    O que dizer sobre  Michael B. Jordan e Jamie Foxx nesse filme? Bem, eu diria que quando você acredita no que está fazendo o resultado raramente é diferente de conseguir fazer as pessoas sentirem toda sua emoção mesmo do outro lado da tela e aqui vai além de acreditar, é fácil notar que assim como eu e a maior parte de vocês eles sentiram na pele cada fala e cada situação, que aliás, eu ainda estou arrepiado no momento em que estou escrevendo.

    Walter McMillian(Jame Foxx) preso injustamente e pior sem nem provas forjadas direito e Bryan Stevenson, advogado, tentando trazer Justiça e aprendendo que a justiça no fim das contas é relativa, existiam várias formas de roteirizar tudo isso, podiam transformar em um filme Jurídico sem nenhuma menção ao racismo, bater na tecla que tudo aconteceu por conta de alguém poderoso que gostava da mulher branca que Walter tinha um caso, ou ainda contar a luta de uma mulher Branca para ajudar um advogado e prisioneiros Negros condenados a morte (esse aliás que é o roteiro preferido do Brasil com a nossa história né, tem sempre um Branco salvando os Negros por aqui, mas depois falo mais disso), que foi o caso do filme "Histórias Cruzadas (2011)", só que o roteiro escolheu mostrar exatamente a verdade, somos nós que lutamos por nós mesmos, foi Bryan que tomou a decisão de sair de uma comunidade pobre, estudar em Harvard, se formar Advogado e se mudar de um lugar "seguro" para defender outros Negros em um local ostil e mais ainda, confrontar as autoridades, o que a cada minuto daquelas 2h arrepiou cada fio de cabelo da minha cabeça enquanto me preparava para o momento em que ele ia levar um tiro ou que iriam jogar alguma coisa pela janela da casa ou até mesmo botar fogo no escritório, coisa de racistinhas se sentindo ameaçados sabe.

    Gosto muito de como foi feito o desenvolvimento da trama, mesmo Bryan sendo um Homem Negro Americano e com a reação de sua mãe com sua mudança para o Sul ele ainda se surpreende com a proporção do Racismo na cidade de acordo com o que as autorides, o povo e os pricioneiros vão contando e mostrando a ele e você vai sentindo aquela carga dramática crescendo mais e mais, até chegar ao ponto de quase quebrar as convicções do personagem e te deixar falando "Eu sabia!!! Brancalhada $&@#! Vão acabar matando o Homi ainda ala!! Justiça @#$&! Nenhuma enquanto o poder for BRANCO!"

    O filme é repleto de frases e passagens fortes como por exemplo a História de Herbert Richardson, soldado Americano, sofrendo por trauma de guerra, fez uma bomba, colou em uma caixa e infelizmente matou uma menina, em outros casos seria colocado em um Hospital psiquiátrico, mas nesse caso estava no corredor da morte, recebeu advogados que nem mesmo tentaram lutar por ele e por quê?

    Luta por Justiça é um filme doloroso que retrata História real ainda mais dolorosa e que com toda certeza foi suavizada pelo roteiro, mas aqui a gente passa um pano, imagina quanto tempo de sofrimento seria se tivesse mais coisa, se eu não aguentei a chatice interrupta de 20h em "Liga da Justiça de Zack Snyder (2021)", imagina mais de 3h de um sofrimento que em menor escala eu sinto na pele todos os dias?


    Mais 3h de policiais brancos Amedrontando uma pessoa Negra para que ela desista de falar a verdade ou inventando motivos para prender um de nós porque sim (eu não preciso pedir de novo para vocês assistirem A 13ª Emenda, de 2016, na Netflix né?).


    Imagina ter que lembrar durante mais 3h de que no dia da Consciência Negra não cabe a quantidade de vezes em que olhamos para alguém, polícial ou não, e antes mesmo da pessoa abrir a boca já sabemos que ele está esperando qualquer movimento suspeito ou não para dizer:


"Foi um de vocês Crioulos, e se não foi você a gente não dá a mínima"


Por: K. Kong




Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

Comentários

Compartilhe nossos artigos e matérias em suas redes sociais.

Postagens mais visitadas deste blog

Papo sobre cinema!

Fonte: Pinterest      E ai pessoal como vocês estão?      Eu sei que 2020 já acabou, mas como ele não foi feito só de coisa ruim resolvi conversar com vocês também sobre o Melhor filme de 2020      Eu quase quase quase vim falar sobre O Resgate ou O Poço, mas o filme do Ano vai além da ação lindamente coreografada ou da história interessante e repleta de simbologia e claro, só poderia ser um filme dirigido por um mestre que na real sim tão importante quanto Scorsese, Spielberg e esses outros monstros que são falados o tempo todo.      "Eu acho que, os Estados Unidos nos deve, nós construimos essa merda!" Pois é Norman dívida histórica é um ponto em tudo que o Brasil também nos deve, construímos e fizemos história aqui mas são os colonizadores que tem estátuas e imagina você que aqui homens e mulheres negros que estão nos livros de história são mostrados como brancos.      Sim, eu estou falando de um filme directed by Spike Lee, que fala sobre a guerra do Vietnã como você com

Novo programa estreia na Rádio Boa Música FM essa Quarta-Feira. 

Novo programa estreia na rádio boa música FM essa Quarta-Feira.   O programa semeando a palavra de Deus. Visa falar com toda a população do Capão redondo principalmente e adjacentes claro. Levando a palavra de Deus e alertando as pessoas da cumplicidade com ele e com nossos irmãos. Mediante a tantas dificuldades que estamos passando com a pandemia. Todo esse caos a falta de amor. Amor próprio e amor pelo próximo. Faz com que a nossa população cada vez mais seja refém do ódio, da doença, da dor, da hipocrisia, do preconceito e da materialização dos sentimentos secundários sentimento esses que acabam desunindo e em um  momento tão crítico que deveria nos unir, faz ao contrário. Através do programa Semeando a palavra de Deus, na rádio Boa Música FM, que será transmitido às 19:00, da 19 às 20:00 da quarta-feira Vamos falar com todos vocês irmãos e irmãs. Que podem nos apenas nos ouvir? Ou se quiserem nos assistir e fazer parte desse programa. Mandando mensagem através do nosso chat

Margareth Menezes homenageia Capinam

Margareth Menezes homenageia Capinam Cantora baiana participa de uma entrevista na Rádio Boa Música FM e solta a voz numa bela canção em homenagem ao eterno Capinam.             Numa recente visita à Rádio Boa Música FM, para uma entrevista, a cantora baiana Margareth Menezes fez uma homenagem ao poeta, músico brasileiro e imortal da Academia de Letras da Bahia - José Carlos Capinan. Com a música “Chão de Pedras”, lançada na Rádio Boa Música FM e que já é sucesso na programação da mesma, Margareth faz um dueto com Jair Luz. A produção ficou a cargo de Humberto Miranda, que também produz, artisticamente e musicalmente, a Casa de Show Carioca Club e o programa Rádio Boa Música FM. Além destes dois espaços, Humberto é diretor artístico do selo “Samba em Movimento” na gravadora Kuarup Produtora. Entusiasmada com a entrevista, Margareth Menezes disse que em breve retornará aos programas Rádio Boa Música FM, que por sinal é um dos programas que mais tocam as canções da cantora baia