m Rádio Boa Música FM / Blog de Notícias e Streaming de áudio e vídeos: Finanças

play de música

câmera estúdio

câmera estúdio

Player Tv Streaming

Visitantes:

Seja bem vindo! Chame-nos no chat.

Fale conosco, estamos on-line!

Siga nossa rádio.

Sharethis

Compartilhe nosso blog e programas ao vivo para seus amigos e familiares clicando abaixo nos botões

Compartilhe nosso blog e programas ao vivo para seus amigos e familiares clicando abaixo nos botões

Compartilha para diversas Redes Sociais

Reprises

Galeria do Instagram

Minhas Redes Socais

Visitas

Mostrando postagens com marcador Finanças. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Finanças. Mostrar todas as postagens

sábado, 2 de janeiro de 2021

Cidadãos globais apoiam gastos públicos para financiar crise do coronavírus



Cidadãos globais apoiam gastos públicos para financiar crise do coronavírus




Pessoas ao redor do mundo querem que os governos gastem mais para ajudar as economias a
 sobreviver ao coronavírus enquanto avaliam a perspectiva sombria das próprias finanças no próximo ano.

É o que revela uma pesquisa global realizada pelo YouGov que lança dúvidas sobre as expectativas de
 uma recuperação impulsionada pelo consumo em 2021.

A pesquisa, com mais de 22 mil pessoas e compartilhada exclusivamente com a Bloomberg, sinaliza que  as famílias vão cortar gastos com entretenimento, roupas e alimentos no próximo ano, antecipando custos de vida mais elevados e rendimentos mais baixos.

Com esse pano de fundo pessimista, os resultados sugerem que os consumidores ainda não estão preocupados  com os custos crescentes de uma crise que pode exigir ainda mais expansão fiscal em 2021. Governos no 
mundo todo já assumiram centenas de bilhões de dólares em dívidas para aliviar o impacto econômico do vírus.


A pesquisa, realizada entre 13 de novembro e 1º de dezembro, mostra um claro apoio a esses financiamentos.






 Entrevistados em 12 dos 15 países são a favor do aumento da dívida para ajudar a impulsionar os gastos fiscais.
 Apenas cidadãos da Polônia e do México se opõem à medida.

No geral, 50% apoiam a abordagem, em comparação com 31% que defendem manter as dívidas nacionais sob controle. 
No Reino Unido, onde um debate político já está em andamento sobre a necessidade de limitar os financiamentos,
 a margem foi ainda maior: de 57% contra 25%.



Essa preferência pela generosidade do governo reflete a preocupação das pessoas com as próprias finanças. 
Quando perguntados o que fariam com uma quantia extra equivalente à renda de um mês, apenas 14% disseram que gastariam, enquanto 59% afirmaram que economizariam ou pagariam dívidas.

Entre os países do G-7, consumidores dos EUA estavam menos dispostos a gastar. O menor resultado foi no México, onde apenas 3% disseram que gastariam.

Globalmente, consumidores parecem preparados para apertar ainda mais os cintos: apenas 18% das 
pessoas disseram que não esperavam cortar gastos no próximo ano. Entretenimento e vestuário são 
as áreas de maior risco, enquanto custos com moradia e pensões foram os itens com menor probabilidade de sofrer redução.

Esse provável corte de gastos reflete o pessimismo de consumidores sobre sua condição financeira.
 Dois terços dos entrevistados esperam que o custo de vida aumente como resultado da crise, enquanto 
as pessoas são quase quatro vezes mais propensas a dizer que isso reduziu a renda familiar em vez de aumentá-la.


Fonte: moneytimes.com.br


Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

7 passos para sair das dívidas e não voltar a dever!

Fonte: Pinterest

 

            Após 3 meses de quedas consecutivas no percentual de famílias endividadas, esse índice ainda é altíssimo, 66% em novembro. Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), e divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), da Agencia Brasil.


            Isso acontece porque as pessoas não têm um controle financeiro, não sabem lidar com o cartão de crédito, entram no cheque especial, empréstimos, financiamentos e pior, tudo isso sem planejamento! Mas, existem ações que podem e vão te auxiliar a sair desta situação. Se você se encontra dentro deste percentual leia o artigo até o fim, e ponha em prática o passo a passo para dar adeus as dívidas! Vamos lá.


 

1-      Saiba o quanto você ganha:


    Parece algo óbvio, não é mesmo! Mas, não se engane, pois não é. Muitas pessoas não sabem o quanto ganham e até se surpreendem ao me procurar e descobrir a verdade. Isso pode acontecer positivamente ou negativamente! Como? Achando que ganham bem e descobrindo que na realidade ganha mal, ou de forma contraria.


    Pronto para saber quanto você realmente ganha! Vamos lá.


    Se você recebe um salário fixo, precisamos saber o seu ganho líquido. Sim, no seu salário deve haver descontos embutidos como, imposto de renda, INSS, Percentual de vale Refeição, Vale Transporte, etc. Se você tiver um holerite fica fácil ver esses dados! Caso não, precisara abrir o app do seu banco, o qual você recebe seu pagamento e observar as entradas feitas pela sua empresa! Algumas empresas pagam o salário integral uma única vez, outras pagam de 2 vezes. Observe como a sua faz e calcule seu salário. Há, detalhe, o pagamento já é feito com os descontos, então não precisa descontar nada só verifica o valor que consta no seu extrato.


    Você recebe Vale Refeição (VR), e/ou Alimentação (VA). Sim, que bom, esse valor deve ser somado ao seu salário líquido! Isso mesmo, o VA/VR faz parte dos seus ganhos e deve ser inserido.


    Se além desses você tem outras fontes de renda como, comissões, renda extra, etc. Devem ser calculados também! No caso de rendas variáveis, como comissões por exemplo, deve-se fazer a média dos últimos 3 meses. Como faço isso! Fácil, some o valor recebido nos 3 últimos meses e divida por 3. Para facilitar observe o exemplo a seguir:


Fonte de renda

Valor Bruto

Descontos

Valor líquido

Salário

R$ 1.400,00

R$ 200,00

R$ 1.200,00

VA/VR

R$ 240,00

R$ 0,00

R$ 240,00

 

 

 

 

 Fonte: Elaboração própria.


    Agora é só somar os valores líquidos de todas as suas fontes de renda e teremos o seu ganho mensal! No exemplo da tabela acima o ganho mensal é de R$ 1.440,00.

 

2-      Quanto você gasta:


    O primeiro passo foi fácil não é mesmo! É muito bom saber o quanto você ganha. Agora vem a parte difícil. É aqui que você vai ficar sabendo o quanto gasta e ainda mais em que gasta. E isso é ótimo, sabe por que? É através deste passo que saberemos onde intervir para estancar as suas dívidas.


    As contas a pagar se dividem basicamente em 3 grupos, que são eles:


Contas Fixas: São as que o seu valor não se altera, como: Aluguel, condomínio, mensalidade escolar, academia e etc.


Contas Variáveis: São as que seu valor mudam todos os meses: água, luz, feira do supermercado e etc.


Contas esporádicas: São aquelas contas que você até quase esquece, porém elas chegam, geralmente uma vez ao ano! IPTU, IPVA, seguros e etc.


    Apresentações feitas, vamos conhecer os seus gastos. O ideal será que você utilize uma planilha de controle financeiro. Há você não tem uma! Relaxa, estou disponibilizando uma completamente grátis. Isso mesmo! Clique no link que estou disponibilizando aqui a baixo e faça o seu download.


https://drive.google.com/drive/folders/103HIlV4bmtQ-LqJ6khP0-1nj08_qxymi?usp=sharing


    Não sei utilizar essas planilhas e agora! Tudo bem, pegue um caderno e anote tudo. Não deixe nenhuma conta de fora, anote todos os seus gastos do mês. Ao final do mês some esses gastos e teremos o resultado procurado, seus gastos mensais.


 Se você baixou a planilha que disponibilizei ela já faz seus cálculos automaticamente! Basta você abastecer com os dados! Detalhe, só altere os campos em que os números estão em azul! E o campo com seu ganho mensal! Os outros são calculados automaticamente ao nível em que é adicionado os dados.

 

3-      Faça uma faxina financeira:


    Esse próximo passo é um pouco mais difícil, mas calma ai, não vai desistir! Com um pouco de força de vontade é possível encontrar algumas despesas e gastos desnecessários que podem ser cortados ou reduzidos. Isso possibilitará a adequação de seus gastos a sua realidade financeira. Não adianta parcelar aquela TV 50 polegadas se a sua de 42 está funcionando bem!


    Tenho certeza que se você buscar atentamente irá encontrar contas que podem ser reduzidas. Quer um exemplo, segura essa! Isso aconteceu comigo, caso verídico. Utilizo um plano mensal de telefonia móvel, com ligações, internet e tudo o mais. Pois bem, com a pandemia passei a ficar mais tempo em casa e possuo wi-fi, então já não utilizava todo o meu pacote de dados, e pensando bem nem antes mesmo! Liguei na operadora e busquei um plano que me atendesse pois com o atual estava tendo desperdício, estava pagando por algo que não estava sendo utilizado. Não consegui um que me atendesse então o que fiz! Deixei para lá e continuei pagando caro por algo que não uso? Jamais, fui procurar em outra operadora! Resultado, encontrei.


    Fiz a portabilidade, mas o que vem a ser isso? É simples, transferi meu número para a nova operadora, há e de graça tá! Passei a economizar R$ 20,00 todos os meses. Daí você pensa: Nossa, mas R$ 20,00 não é nada? Querido (a), sinto lhe informar, mas é por causa de pensamentos assim que você está endividado (a)!


    Pode não parecer nada olhado somente para o mês em questão. Porém, vamos ver isso no prazo de 1 ano. 12 meses, R$ 20,00 por mês, resultado, R$ 240,00! E essa não é a única conta que você pode reduzir. Já olhou seu extrato do banco! Abre seu app, procura bem que todo mês terá um debito intitulado “tarifa mensalidade pacote serviços”, se eu te falar que você não precisa pagar isso! Pois é, uma conta que pode ser extinta, e a economia com isso ao longo prazo? Já pensou! Não, pois deveria! Este será assunto para outro artigo! Vamos dar continuidade.

 

4-      Negocie suas dívidas:


  Negociar as dividas é de extrema importância. De que adianta saber quanto se ganha, o quanto se gasta, fazer uma faxina financeira e não tomar atitudes para mudar! Com o orçamento em ordem e as economias de corte de gastos ou renda extra (falaremos daqui a pouco sobre isso!), entre em contato com a instituição e comunique seu interesse em quitar a tal dívida. Com dinheiro sobrando é mais fácil negociar e conseguir desconto.


    Busque negociar primeiro as contas que te cobram os juros mais altos, dessa forma quanto antes quitar, menos juros pagará. Cuidado, no caso de parcelar a dívida, é importante ter certeza de que a parcela caberá no seu orçamento mensal.

 

5-      Faça renda extra:


    Muitas vezes, somente cortar gastos não será suficiente para se livrar das dívidas. Neste caso, o caminho pode ser, fazer uma renda extra! Um segundo trabalho, freelance aos finais de semana, você pode vender itens que já não usa mais, ou criar algum produto para vender aos amigos, colegas de trabalho, como bolo de pote, trufas, brigadeiros, descubra uma atividade que você leva jeito e comece a empreender.


    Há vários sites na internet que te ajudam a fazer renda extra! Em um próximo artigo trarei um pouco desse universo para vocês.

 

6-      Trace metas:


    As metas são divididas em 4 grupos:


Curto prazo: Até 2 anos, para o cumprimento;


Médio prazo: De 2 a 5 anos;


Longo prazo: De 5 a 10 anos;


Longuíssimo prazo: Mais de 10 anos.


    Trace suas metas de curto, médio, longo e longuíssimo prazo. Isso ajudará no seu controle de gastos por impulso. Quando temos em mente um objetivo fica mais fácil distinguir o que realmente é necessário no momento e o que poderá esperar pois a sua meta é prioridade e um gasto desnecessário hoje poderá e irá comprometer a realização de tal meta traçada.


    Por exemplo, a sua meta de curto prazo para 2021 pode ser, sair das dívidas até o fim do ano! Com essa meta traçada, você pode separar as contas e criar estratégias. Como a quitação das dívidas prioritárias até o fim do primeiro semestre!


    Dessa forma você pegara o montante e dividirá por 6 para saber quanto precisará economizar para o pagamento da mesma. Viu como é fácil traçar as metas!

 

7-      Faça uma reserva de emergência:


   Em que consiste uma reserva de emergência: Nada mais é que um montante equivalente a pelo menos 6 meses de suas despesas hoje! Ou seja, você precisa ter em algum lugar guardado uma quantia que se necessário, garanta o seu sustento por no mínimo 6 meses.


    Importante! Esse montante deve estar guardado em um lugar que possibilite a retirada imediata. Caso um imprevisto lhe acometa você estará seguro de que não vai passar necessidades, tão pouco vai ter que recorrer a empréstimos que cobram taxas abusivas.


    Já falei mais a respeito de onde por sua reserva de emergência em outro artigo! Quer saber mais a respeito! Clica no link e aproveite, conhecimento nunca é demais!


https://www.radioboamusicafm.com/2020/10/tesouro-selic-fecha-setembro-negativo.html


    Se você está endividado, o recomendado é quitar as dívidas e logo em seguida montar a sua reserva de emergência. E você que não está endividado, já tem sua reserva feita? Sim, Não! Bom é melhor começar a pensar no assunto!


      Espero que este artigo possa te ajudar! Tenho certeza que se você seguir o passo a passo terá bons resultados e se o manter por perto o risco de cair na inadimplência reduzirá consideravelmente!


    Tenha foco, alavanque seus ganhos, controle suas despesas, mantenha hábitos financeiros saudáveis e desfrute de uma vida melhor! Grande abraço e até o próximo artigo! Há e não esquece de enviar esse artigo para aquele amigo, parente ou conhecido que precisa dessas informações, ajude a disseminar o conhecimento!

 


By: Tony Macêdo




Se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, participe, inscreva-se, dê um like e compartilhe em suas redes sociais.

Compartilhe nossas matérias e/ou artigos em suas redes sociais. Nos apoie!

Compartilhe já!